A Urbanização de Curitiba S/A (Urbs) está fiscalizando o transporte irregular de passageiros na frota de táxi da cidade. A autuação para lotações sem autorização prévia é de R$ 108,00. Em casos mais graves, a penalidade pode chegar à suspensão da atividade e ao cancelamento da autorização.

Desde o início do ano a Prefeitura mantém diálogo permanente com os taxistas e uma série de reivindicações da categoria foi atendida nesse período. “O serviço de táxi em Curitiba é um dos mais conceituados do País, e assim queremos que continue”, disse o prefeito Rafael Greca.

Entre as solicitações feitas pelos representantes dos taxistas estava a regulamentação dos aplicativos de transporte individual, como Uber e Cabify. “A cidade tem espaço para todos, desde que existam regras e que elas sejam cumpridas, o que não está acontecendo com esse protesto”, disse Greca.

Em maio o prefeito assinou um decreto para aumentar a competitividade do serviço de táxis. O decreto nº 947/2017 acabou com a taxa de bagagem e também com a cobrança pelo trecho de deslocamento do veículo até o embarque do passageiro.

Outra medida acatada foi o parcelamento da taxa anual da outorga paga ao município para exercer a atividade de táxi. A liberação de taxa de publicidade institucional para as centrais de táxis e autônomos, aumento do período de uso de publicidade e a implantação da padronização da vestimenta com traje social também foram solicitações atendidas.

A Prefeitura também fez campanha no mobiliário urbano da cidade para estimular o uso do táxi.

 

Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba