Após 15 anos de tramitação na Justiça, a ação movida por religiões de matriz africana contra os ataques preconceituosos da TV Record surtiu efeito: a TV Record e a Record News foram condenadas a exibir quatro programas como direito de resposta, produzidos pelas religiões afros.

A decisão foi tomada após acordo assinado no Tribunal Regional Federal, terceira região.

Com alguma demora, a Justiça foi feita, apesar da TV Record utilizar de forma vergonhosa um espaço público – concessão – para insuflar ódios e preconceitos contra outras religiões.

O resultado da intolerância televisiva – e da chamada “grande imprensa” – tem gerado ataques a terreiros de umbanda e candomblé por milicianos e traficantes em algumas capitais.