A soldado da Polícia Militar Leiliane Soares da Silva é a primeira mulher a se formar na corporação como técnica explosivista. Ela integra da turma que concluiu o curso e recebeu o diploma nesta quinta-feira (27). Os militares formados neste curso poderão atuar no Esquadrão Antibombas ou retornarem às suas unidades de origem para disseminar o conhecimento adquirido para os companheiros de farda. “Os homens e as mulheres têm, cada qual, as suas características que, somadas, nos dão uma visão mais ampla, uma percepção mais completa da nossa missão. E é isso que queremos, proporcionar o melhor de cada um de nós profissionalmente em benefício da sociedade paranaense”, disse a comandante-geral da Polícia Militar, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha, na solenidade de formatura. A coronel Audilene foi a primeira mulher a assumir esse posto, em 164 anos da corporação.

A soldado Liliane até então atuava no setor de compras do Hospital da Polícia Militar. Ao optar pelo curso de explosivista teve sua rotina virada de ponta cabeça: invés de papéis e canetas, passou a lidar com fios, ferramentas, equipamentos e trajes especiais para atendimento de ocorrências com explosivos. Trabalhar com explosivos não era bem o sonho de Liliane, que quando entrou na corporação, em 2013, queria integrar Batalhão de Operações Especiais (BOPE).

Ao fazer o curso no Esquadrão Antibombas, descobri o que realmente queria. Estar nesse seleto grupo é uma responsabilidade grande por representar o público feminino num momento histórico em que temos uma comandante-geral na Corporação”, disse ela. O III Curso Técnico Explosivista – Categoria Oficiais e Praças é uma iniciativa do BOPE, por meio do Esquadrão Antibombas, em conjunto com Diretoria de Ensino e Pesquisa da PM e com a Academia Policial Militar do Guatupê para formar militares estaduais dotados de conhecimento nesta área habilidade para o atendimento de ocorrências com elementos químico, biológico, radioativo e nuclear. O curso é requisito básico para fazer parte do Esquadrão Antibombas.

O curso é importante para a PM e muito mais para a sociedade, considerando as ocorrências e eventos que nos deparamos diariamente, no Paraná e no País, envolvendo explosivos. Quanto maior o número de pessoas aptas a operar com segurança e conhecimento técnico, melhor será o resultado final”, avaliou o comandante do Batalhão de Operações Especiais, tenente-coronel Hudson Leôncio Teixeira.

A solenidade de formatura teve a presença do secretário Chefe da Casa Militar, coronel Maurício Tortato; do subcomandante-geral da PM, coronel Arildo Luis Dias; do vice-presidente da Associação da Vila Militar, coronel Almir Porcides Junior, e do comandante do BOPE, tenente-coronel Hudson Leôncio Teixeira.