O terapeuta e judeu ortodoxo norte-americano Norman Goldwasser, que prometia a cura gay por meio de uma terapia de reversão da homossexualidade criada por ele, foi flagrado fazendo uso do aplicativo Manhunt, que promove encontros entre homossexuais; no perfil, Godwasser – que já comparou a homossexualidade a um transtorno obsessivo-compulsivo – usava o codinome HotnHairy72 (QuenteEPeludo72) e aparecia com fotos sem roupa

Brasil 247 – O terapeuta e judeu ortodoxo norte-americano Norman Goldwasser, que prometia a “cura gay” por meio de uma terapia de reversão da homossexualidade criada por ele, foi flagrado fazendo uso do aplicativo Manhunt, que promove encontros entre homossexuais.

No perfil, Godwasser – que já comparou a homossexualidade a um transtorno obsessivo-compulsivo – usava o codinome HotnHairy72 (QuenteEPeludo72) e aparecia com fotos sem roupa. O perfil foi exposto após ele trocar uma série de mensagens com um outro usuário, Wayne Besen, um dos responsáveis pelo site gay “Truth Wins Out”.

“A vida dupla de Norman Goldwasser mostra toda hipocrisia e natureza dessa indústria de ‘cura gay’. Fiz isso para expor o ridículo e pedir a todos os Estados do país que proíbam a cura gay, este tipo de terapia que só prejudica pessoas LGBTs jovens e coloca suas vidas em risco”, disse Wayne ao portal Cocktails and Cocktalk”.

Ele destacou, ainda, que a chamada cura gay é proibida em vários estados norte-americanos, como California, New Jersey, Oregon, Nevada, Washington, dentre outros.