O inferno astral de Sergio Moro prossegue impávido nas fileiras do Congresso. Agora, é o Senado Federal que lhe torce o nariz. Parlamentares da cúpula da Casa estão determinados a colocar pedras no caminho do projeto anticrime quando ele chegar para ser discutido – se chegar, já que Rodrigo Maia o tirou da agenda da Câmara. Senadores também indicam que se o nome de Moro vier a ser aventado para o STF, será rechaçado. Além do PT, PMDB, DEM e PSDB tem restrições ao nome do ex-juiz de Maringá.

A reportagem do Jornal Folha de S. Paulo destaca que “as propostas de Moro já tiveram tramitação suspensa na semana passada na Câmara dos Deputados, por 90 dias —prorrogáveis por mais 90. As ideias de Moro só teriam alguma chance de tramitar —e, mesmo assim, com restrições— caso o governo apoie a aprovação do projeto de abuso de autoridade, que enquadra policiais, procuradores e magistrados.”

A matéria acrescenta que “o senador Major Olímpio (PSL-SP), que apoia o projeto de Moro, admite as dificuldades. ’Quando se faz política de uma nova forma, a dinâmica muda. Nem todos podem ser convencidos por ideias e conhecimento’, afirma ele.”

 

Plantão Brasil