O Dr. Dhiogo Correa, oftalmologista titulado pela Sociedade Brasileira de Oftalmologia e pelo Ministério de Educação, fala sobre danos causados à visão por aparelhos eletrônicos, catarata e doenças oftalmológicas comuns no inverno. Ele é integra o corpo clínico e cirúrgico do CEMOC – Centro de Microcirurgia Ocular de Curitiba, localizado no bairro Batel. 

Quais os danos causados à visão de crianças pelo uso de celular, tablet e computador?

Dr. Dhiogo – Quando olhamos para perto, os nossos olhos fazem a chamada acomodação visual. Já é conhecido de longa data que o uso excessivo da acomodação durante o desenvolvimento da visão causa o aumento das chances de crianças serem míopes quando adultas. Com a popularização e o fácil acesso aos celulares e tablets, temos observado um aumento significativo destes casos em nossa prática clínica. Por isso, o uso destes equipamentos deve ser limitado em fases precoces do desenvolvimento das nossas crianças. Além do dano direto à visão, tem nos preocupado o fato de que crianças têm trocado as práticas de atividades em ambientes abertos, sociáveis e divertidos pelo uso dos eletrônicos. As repercussões destes hábitos à saúde não só ocular mas também física, orgânica, psicológica e social já estão claras. Maiores riscos de obesidade infantil e menos interações sociais devem receber a devida atenção por parte dos pais. 

Os adultos também sofrem algum dano na visão pelo uso excessivo de celular, tablet ou computador?

Dr. Dhiogo – Sim. Equipamentos eletrônicos emitem diversos espectros luminosos que são danosos à saúde ocular. Riscos aumentados de degenerações do sistema visual tem sido relatados em estudos científicos, e podem desencadear perdas visuais das mais variadas formas a longo prazo. A curto prazo, observam-se maiores incidências de olhos secos, irritados e avermelhados após exposição prolongada a tais dispositivos. Além disso, adultos também devem se preocupar sobre o mal uso de seu tempo livre, atentando à necessidade de priorizar práticas esportivas e momentos de lazer ao invés do confinamento ocasionado pela relação excessiva com os eletrônicos. 

Porque é cada vez maior o número de pessoas que sofrem de catarata nos olhos?

Dr. Dhiogo – A catarata é um processo degenerativo intrínseco ao envelhecimento humano. Dentro dos olhos, temos lentes naturais chamadas de cristalino. Essas lentes sofrem os efeitos do tempo, e naturalmente vão envelhecer e perder sua transparência ao passar dos anos. Entretanto, este envelhecimento pode ser acelerado pela exposição aos fatores de risco comprovados, como diabetes e outras doenças metabólicas, tabagismo e exposição a irradiações luminosas lesivas aos olhos. Portanto, mais uma vez apontamos a importância de hábitos saudáveis e cuidados contínuos com a saúde ocular que são detalhadas na consulta com seu oftalmologista. 

Quais as doenças de visão mais comuns no inverno e quais os cuidados que devem ser tomados? 

Dr. Dhiogo – Primeiramente, eu gostaria de apontar sobre um senso comum equivocado de que o sol não danifica os olhos e a pele em dias frios. Em dias assim, nossa pele precisa de protetor solar e nossos olhos se beneficiam de proteção contra raios UV tanto quanto nos dias de verão. Em segundo lugar, o confinamento e a exposição a aquecedores aumenta a incidência de olhos secos, devendo estarmos atentos à boa lubrificação ocular e umidificação dos ambientes. Ventos gelados podem aumentar o lacrimejamento por efeito mecânico e térmico sobre os olhos. Isso causa desconforto, mas pode ser prevenido com uso de óculos e mínima exposição a tais ambientes. No inverno, passamos mais tempo em ambientes fechados e consequentemente nos expomos mais ao uso dos eletrônicos citados acima. Um dica que sempre damos aos pacientes é a regra do 20:20:20. A cada 20 minutos lendo, escrevendo ou trabalhando em computadores, parar por 20 segundos e olhar para longe (distâncias maiores do que 20 pés/6 metros, o que garante relaxamento total da musculatura que faz o esforço para perto). Finalmente, as doenças típicas do inverno comumente afetam os olhos. Neste grupo, estão os resfriados e outras infeções das vias respiratórias, que estão intimamente conectadas com o sistema de drenagem das lágrimas e consequentemente com a saúde da superfície ocular. A qualquer sinal de alterações da saúde ocular, como olhos vermelhos, lacrimejamento, dor e ardência, sensação de corpo estranho e piora da visão, o oftalmologista deverá ser prontamente consultado para um exame detalhado da saúde ocular, mantendo nossa visão em segurança.

Serviço

CEMOC – Centro de Microcirurgia Ocular de Curitiba

Avenida Silva Jardim, 3.888 – Fone 3075-7000