Aproximação do grupo de combate da Marinha dos EUA, liderado pelo porta-aviões USS Ronald Reagan, à península da Coreia cria riscos de continuar provocações, declarou o chefe do Departamento da América do Norte da chancelaria russa.

De acordo com ele, “os navios norte-americanos, liderados pelo porta-aviões Ronald Reagan, serão posicionados perto da costa norte-coreana, pois atualmente estão se aproximando da região e isso, por sua vez, cria possibilidade de provocações”.

“A situação é muito perigosa, preocupa-nos muito, inclusivamente devido ao fato de possuirmos fronteira com a Coreia do Norte”, indicou Georgy Borisenko em entrevista à Sputnik.

Ao mesmo tempo, ele destacou que Moscou falou reiteradamente para Washington sobre esse fato, chamando os norte-americanos para “resolver a situação através de meios exclusivamente políticos e diplomáticos”, acrescentando que “é sempre possível encontrar solução mutuamente benéfica para evitar consequências catastróficas”.

No entanto, Washington não exclui opção alguma no que diz respeito à resolução da situação atual na península coreana.

O diplomata indicou que a Rússia, por sua vez, continua trabalhando com seus colegas estadunidenses para resolver esse assunto pacificamente e apela aos EUA para que “imediatamente calmem como falam, pois até mesmo acusações verbais resultam em escalada de tensões, sem falar de ações concretas como a aproximação de frota marítima à costa da Coreia do Norte”.

“É um jogo muito perigoso”, avisou.

Nos últimos anos, as relações entre Coreia do Norte com o mundo vêm se agravando devido aos testes de mísseis e testes nucleares realizados por Pyongyang.

 

Sputnik Brasil