O porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia assegurou que a Federação Russa dará seu firme apoio militar e armado em exercícios de defesa integral da Venezuela sob a ameaça que representa a OTAN no vizinho país Colômbia.

 

Após a vitória de Bolsonaro no Brasil o governo Trump começa a organizar um grupo de países submissos ao imperialismo norte-americano para provocar e fustigar a Venezuela.

 

O ministro da Defesa venezuelano assegurou que o país está totalmente pronto para contra-atacar qualquer agressão armada ou não para proteger seus interesses e segurança nacional.

 

“Estamos prontos para enfrentar qualquer agressão no campo da luta armada e desarmada para salvaguardar os interesses que estão consagrados na Constituição e tem legislação suficiente e base jurídica para construir o nosso próprio modelo de defesa global do país”, disse o ministro Vladimir Padrino López.

 

O ministro da Defesa expressou sua confiança de que este órgão nacional têm as bases e os instrumentos legais para garantir a soberania nacional da Venezuela, manifestando a sua gratidão a aliados que mostram sua verdadeira amizade ao participar de tais manobras como estes.

 

As nações também são vítimas do mesmo inimigo.

 

Ele ressaltou que este órgão executivo determinado pela Constituição “usa todo o potencial nacional, torna o poder nacional coeso e o coloca a serviço da luta armada”.

 

A  Venezuela tem até agora mais de um milhão (1.000.000) de civis chavistas registrados voluntariamente no registo para a defesa nacional, o que corresponde à Milícia Nacional Bolivariana, organizada para combater ao lado do exército em qualquer fase de agressões estrangeiras à nação.

 

López Padrino lembrou que o país conta com mísseis e foguetes de última geração, fabricados na Rússia e China, capazes de provocar destruição massiva em países que ousarem atacar a Venezuela.

 

El Caminante