A Assembleia Legislativa aprovou nesta segunda-feira, 8, requerimento do deputado Romanelli (PSB) em que pede informações à procuradora-geral do Estado, Letícia Ferreira, e ao secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, se o “Estado figura como parte nos acordos de leniência feitos pelo Ministério Público Federal e as concessionárias Rodonorte e Viapar”. E também se “a duplicação da BR 376, em seus 90 Km, foi incluída no acordo de leniência realizado entre o MPF e a Rodonorte”.
“Esses acordos de leniência pelo que a imprensa veicula não contemplam, na minha avaliação, o interesse público. Um exemplo é o caso da BR 376, Rodovia do Café, ligação fundamental entre a região norte do Paraná e Curitiba, na qual não estão incluídos os 90 km que deveriam ser duplicados”, diz Romanelli.
A duplicação da BR-376, adianta Romanelli, é uma das principais cobranças de entidades e da sociedade civil organizada do norte do Paraná, em razão da sua importância estratégica, tanto para a economia paranaense, como para o desenvolvimento da região e segurança dos usuários.
 
Contratos – O deputado pede ainda que informações se “de fato o Estado do Paraná através do PGE e do DER são partes desses acordos leniência feitos pelo MPF”. “Isso é de maior interesse para que possamos documentar essa resposta para poder fazer esse debate que é de maior importância”, destaca.
Romanelli justifica seu pedido já que as “investigações criminais culminaram com a confissão pelas concessionárias de participação de atos ilícitos relacionados aos contratos de concessão firmados entre o Estado, o DER/PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná), o DNER(Departamento Nacional de Estradas de Rodagem) – atual DNIT; o Ministério dos Transportes e as concessionárias”.
“As respostas a tais questionamentos são fundamentais para o Estado do Paraná, posto que várias rodovias em concessão são estaduais e os contratos de concessão foram firmados pelo Governo do Estado, sendo atingido, nesse caso, o interesse do povo paranaense”, completa.