Vi o governador Ratinho Junior anunciando que participou de reunião com o Ministério da Saúde e que o Paraná terá 265.600 doses da vacina produzida pelo Instituto Butantan em convênio com o laboratório chinês Sinovac.

Na semana passada, Ratinho Junior foi à Fiocruz, levou jornalistas, fotógrafos e o secretário de Saúde e não deu em nada. A vacina de Oxford não tem data para ser enviada ao Brasil no “superacordo” feito pelo ministro da Saúde e general Pazuello com o laboratório da India.

Enquanto isso, diversos prefeitos já tinham procurado o Butantan para adquirir a vacina chinesa.

Mas o Bolsonaro dizia que não iria usar e Ratinho Junior alinhou-se a ele. E agora, a vacina chinesa é a salvação. Só que não tem para todos., a curto e médio prazo. E Ratinho Junior não tem alternativa a oferecer aos paranaenses já que, aparentemente, desistiu do convênio para fabricar a Sputinik V, a vacina russa que está sendo aplicada em vários pontos do mundo. Inclusive, na vizinha Argentina.

Outros governadores estão buscando soluções para compensar o negacionismo e a incompetência do governo federal. O governador do Paraná só segue Bolsonaro.

Deputado estadual Tadeu Veneri (PT)