Partido que esteve por trás do golpe de 2016, justamente para mudar a política de preços da Petrobrás e privatizá-la aos pedaços, PSDB se revolta com a demissão do entreguista Roberto Castello Branco, que vinha cobrando preços abusivos na gasolina, no diesel e no gás de cozinha

247 – O PSDB, que foi linha de frente na articulação do golpe de 2016, chamou Jair Bolsonaro de comunista diante da demissão do entreguista Roberto Castello Branco da direção da Petrobrás. Representante do capital financeiro, o PSDB se revoltou com a substituição do banqueiro por um general, o que deve enfraquecer a política privatista.

Nas redes sociais, neste sábado, 20, o partido publicou uma foto do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) e de Jair Bolsonaro, se vangloriando pelo partido ter privatizado bem mais em sua gestão. Junto à foto, uma legenda: “quem é o comunista e quem é o liberal?”.

O jornalista e editor do 247 Leonardo Attuch afirmou que os tucanos estavam “entregando o jogo”, mas ressaltou que o placar divulgado está errado, pois “Bolsonaro já vendeu uma refinaria da Petrobrás e vários ativos da estatal”. “Talvez o general coloque um freio no entreguismo. Vamos aguardar”, concluiu.

Na sexta-feira, 19, Bolsonaro demitiu Castello Branco e colocou o general Joaquim Silva e Luna, ex-ministro de Michel Temer, no controle da Petrobrás, o que desagradou o mercado financeiro.