Obra de dragagem e limpeza do rio Barigui, no bairro Vitória Régia. Foto: Cesar Brustolin/SMCS

Até esta sexta-feira (15/6) deverá ser concluída a limpeza do fundo do Rio Barigui, na região do conjunto habitacional Vitória Régia, na CIC. Em cinco dias de trabalho com equipamento de grande porte (escavadeira hidráulica) está sendo retirado um volume equivalente a 300 caminhões de areão, que estava acumulado no fundo e impedia o fluxo da água do rio. Neste ponto, o Barigui passa sob a Rodovia do Xisto e tem 35 metros de largura.

O serviço incluiu a limpeza da margem esquerda do canal acumulador da Rua José Laurindo de Souza, que se estende pelo conjunto Vitória Régia, numa extensão de 1.700 metros. Este canal recebe a água dos cinco outros menores da região.

A limpeza no Vitória Régia, onde vivem 15 mil pessoas, de acordo com a Associação de Moradores, dá continuidade ao que começou a ser feito há um mês no vizinho conjunto Vila Verde, também na CIC. Lá, foram feitas melhorias de duas valas de drenagem e o desassoreamento do canal acumulador, ou seja, a limpeza do fundo e o alargamento das margens, numa extensão de 1.000 metros.

Os canais acumuladores do Vitória Régia e do Vila Verde desaguam no Rio Barigui. “Quando chove e o rio não consegue fluir ele devolve a água para os canais e alaga as ruas, entra nas casas”, conta o presidente da Associação de Moradores do Vitória Régia, Paulo Koltun, que acompanha de perto o trabalho desenvolvido pelo Departamento de Pontes e Drenagem da Secretaria de Obras. “O rio, que tem uma boa largura, estava fluindo apenas por uma parte porque do outro lado o material acumulado obstruía a passagem da água. Antes, o rio não tinha correnteza, agora tem”, explica Koltun.

O casal Olinda e Talgino Vieira vive há três anos no Vitória Régia e aprova a intervenção da Prefeitura. “Na nossa casa nunca aconteceu, mas já presenciei muita coisa feia quando chove por aqui. É importante fazer esse tipo de limpeza”, diz Olinda.

De acordo com Koltun, as manutenções devem ser feitas de forma regular. “Mas por muitos anos a Prefeitura não entrou com máquinas aqui”, afirma. Desde 2004 não era feita a limpeza do canal acumulador do conjunto Vila Verde. E desde 2014 o trabalho não era feito no Vitória Régia.

O presidente da Associação de Moradores do Vila Verde, Sandro Oliveira, explica que a limpeza beneficia especialmente quem mora próximo ao rio. “Mas a gente sabe que a população precisa colaborar, ter mais cuidado com a limpeza do rio. Não é só o poder público que precisa fazer, os moradores podem ajudar. Por isso, a gente divulga no nosso grupo do Facebook algumas mensagens sobre esse tema”, revela Oliveira. Segundo ele, na Vila Verde vivem cerca de 18 mil pessoas.