Com a previsão meteorológica de frio intenso e até geadas neste fim de semana, a Prefeitura de Curitiba intensificará o serviço de busca ativa a pessoas em situação de rua em toda a cidade. Esse trabalho vem sendo executado pelas equipes da Fundação de Ação Social (FAS) desde o dia 2 de maio, quando começou a Ação de Inverno – Curitiba que Acolhe. Todas as vezes que há previsão de queda da temperatura para no máximo 7 graus, o que coloca a população de rua em risco de morte, as equipes são mobilizadas para percorrer a cidade, fazendo abordagens e ofertando acolhimento.

Na ação emergencial, são 22 assistentes sociais e educadores sociais e 11 servidores de apoio técnico. Eles estão divididos em seis equipes que fazem o serviço de busca ativa e outras cinco que saem às ruas atendendo apenas as solicitações que chegam à Central 156, canal de comunicação da Prefeitura com a população.

A ação emergencial acontece das 19h às 23h. Nos demais horários, os serviços de busca ativa e abordagem social seguem o cronograma de rotina das equipes da assistência social, realizados, durante o dia, pelo Centro de Monitoramento 24 Horas, na Regional Matriz, e pelos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e Centros POP, nas outras nove regionais de Curitiba.

A presidente da FAS, Larissa Tissot, explica que o objetivo da ação é fazer varreduras em toda a cidade, para localizar e acolher as pessoas que estão em situação de rua. “Sabemos que a rua não é moradia para ninguém e, por isso, a Prefeitura está trabalhando intensamente para resgatar essas pessoas. Não podemos perder ninguém para o frio”, disse.

O trabalho será mais concentrado na Regional Matriz, segundo a diretora de Atenção à População de Rua, Maria Alice Erthal, já que 62% da população de rua vivem no Centro da cidade. O atendimento à população de rua é uma prioridade da gestão do prefeito Rafael Greca.

Infraestrutura

Para receber as pessoas em situação de rua neste inverno, a Prefeitura implantou duas unidades: a Casa da Acolhida do Bairro Novo e a Casa da Acolhida Rebouças. Das 18h até a manhã do dia seguinte, os dois locais ofertam quartos, banheiros, cozinha, refeitório, guarda-pertences, lavanderia e uma área para armazenamento de roupas que são fornecidas às pessoas que chegam.

Em anexo à unidade do Bairro Novo, foi implantado um Centro POP, que oferece atendimento durante o dia. Nos três espaços, que ofertam 280 vagas, os usuários podem tomar café da manhã, almoçar, jantar e cuidar da higiene. Equipes técnicas coordenam os serviços com o apoio de voluntários.

Além dos equipamentos emergenciais, as pessoas em situação de rua acolhidas emergencialmente durante a Ação de Inverno podem ser acolhidas nas unidades que já compõem a rede oficial da Prefeitura. São quatro unidades de acolhimento que têm capacidade para atender até 236 pessoas adultas. Se for considerado o atendimento de rotina, que possui unidades conveniadas e atendimento diurno, o número de vagas ofertadas para a população de rua chega a aproximadamente 1.550.

No caso de crianças e adolescentes em situação de rua, as equipes da FAS acionam os Conselhos Tutelares e a Fudanção realiza o acolhimento em unidades que atendem esse público.