A Prefeitura de Curitiba levou 3.450 crianças, adolescentes e familiares dos participantes do projeto Escola + Esporte = 10 (EE10) e Leões do Vôlei para assistir as partidas desta quarta-feira (5/7) das finais da Liga Mundial, na Arena da Baixada.

“É uma oportunidade única para eles assistirem ao maior evento do vôlei mundial”, destacou o secretário municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Marcello Richa. “Poder ver ídolos de perto, viver o clima de uma partida no estádio e acompanhar jogos de alto nível sem dúvida irá fomentar os sonhos desses jovens e permitir que se divirtam ao lado de amigos e familiares.”

Desde o começo da competição mais de 4.200 participantes das atividades de contraturno da Prefeitura puderam ir ao estádio para ver as principais seleções de vôlei do mundo, sendo que muitos jamais tinham assistido ao vivo a uma partida oficial de vôlei.

“Comecei a me interessar pelo vôlei assistindo aos jogos pela televisão, mas aqui é muito melhor. A gente sente a torcida, a preocupação e atenção dos atletas. É mais emocionante”, afirmou Amanda Oliveira de Meira, de 16 anos e que participa das atividades do Leões do Vôlei no Centro de Esporte e Lazer (CEL) Boa Vista.

Alexandre Gonçalves da Silva, de 15 anos e que treina no CEL Rua da Cidadania Pinheirinho, observava com atenção cada jogada e movimento dos atletas. “É o primeiro jogo de seleções que estou assistindo no estádio e o mais legal é perceber a facilidade e velocidade com que eles executam as jogadas, muitas que a gente ainda está aprendendo. Espero, com treino e dedicação, conseguir jogar dessa forma um dia.”

O campeão olímpico de vôlei de areia e padrinho do Leões do Vôlei, Emanuel Rego, assistiu às partidas ao lado de 370 crianças e adolescentes do projeto e destacou a importância da iniciativa. “As crianças estão socializando, conhecendo o esporte de alto rendimento e fazendo algo que ficará marcado pelo resto da vida deles. O grande estímulo que existe por meio do esporte é pelo exemplo e aqui temos os melhores atletas do mundo para eles se inspirarem.”

E o clima não poderia ser melhor, com muita descontração entre as crianças, que se dividiram na torcida. “Se o Brasil não for campeão, quero que o Canadá ganhe, porque são os únicos que nunca venceram a Liga Mundial”, disse Fernanda Leite, de 15 anos, e que joga vôlei no Centro de Esporte e Lazer (CEL) Fazendinha. “Torci muito para a Rússia, já que o Brasil se classificaria caso eles vencessem. Não deu, mas amanhã espero dar mais sorte para a seleção”, disse Bianca Renata de Oliveira, de 14 anos e que treina no CEL Pinheirinho.

Contraturno

O programa Escola + Esporte = 10 (EE10) promove atividades de iniciação esportiva em período de contraturno escolar para crianças e jovens de 6 a 17 anos com atividades em 23 modalidades.

As atividades são realizadas em 23 escolas municipais e nos Centros de Esporte e Lazer (CEL), Clubes da Gente, Centros da Juventude e espaços conveniados da Smelj nas dez regionais administrativas da Prefeitura.

 

Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba