A Polícia Federal passou o recibo de que o chamado ‘triplex do Lula’ pode ter sido uma grande farsa midiática e judicial. Sem provas contra o ex-presidente Lula, a Polícia Federal não o indiciou como proprietário do apartamento. A farsa muito divulgada pela imprensa contribuiu para o golpe parlamentar contra Dilma Rousseff e contra o voto da população na última eleição.

Depois de muita investigação, especulação, vazamentos e divulgação na grande mídia, que apontava o ex-presidente Lula e seus familiares como proprietários do imóvel, a informação não foi confirmada pelas autoridades. O relatório concluído foi entregue pela PF à Justiça na última sexta-feira semana e divulgado nesta quinta-feira (18) pelo juiz Sérgio Moro.

Segundo informações, a Polícia Federal indiciou a publicitária Nelci Warken, que admitiu ser dona de um triplex localizado no Guarujá, alvo de investigação da fase Triplo X, da Operação Lava Jato.

Além de Nelci, também foram indiciados funcionários da empresa Mossack Fonseca no Brasil: Maria Mercedes Riaño, Luis Fernando hernandez, Rodrigo Andrés Cuesta Hernandez, Ricardo Honório neto e Renata Pereira Britto, além do empresário Ademir Auada, intermediário de negócios para a empresa. Lula e seus parentes não foram envolvidos.

Carta Campinas com informações da Revista Fórum