A Polícia Civil do Paraná reforçou o efetivo de segurança no Litoral para a temporada de verão 2020. Cento e quinze policiais civis participaram da primeira fase da operação, que consistiu em uma reunião de trabalho, nesta sexta-feira.

Os policiais atuarão nas seis cidades que recebem movimento elevado de turistas durante os meses mais quentes do ano: Pontal do Paraná, Guaratuba, Matinhos, Antonina, Morretes e Paranaguá.

Além dos 115 policiais, equipes do Centro de Operações Policiais Especiais, do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente e do Grupamento de Operações Aéreas se juntarão ao reforço operacional.

O coordenador da operação, delegado Gil Rocha Tesserolli, afirma que a instituição se preparou ao longo do ano para iniciar mais uma temporada de verão no Litoral e atender a população de todas as cidades da região, moradores ou veranistas. “Essa operação é fundamental pela grande quantidade de veranistas que vêm ao nosso Litoral e a Polícia Civil tem que garantir a todos um verão seguro. Os 115 policiais trabalharão de forma fixa e mais grupos especiais vão atender necessidades específicas”, destacou.

A delegada do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes, Ellen Martins, acrescenta que as equipes do núcleo e do Serviço de Investigações de Crianças Desaparecidas executarão atividades preventivas nas cidades de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná. “A Polícia Civil estará com equipes do Nucria e do Sicride no Litoral para distribuir folhetos informativos e pulseiras para que os pais coloquem em suas crianças e adolescentes”, disse. As pulseiras servirão para identificar possíveis vítimas de desaparecimento e de outros crimes.

O delegado de Guaratuba, Leandro Stabile destaca como fundamental o reforço de policiais durante esta época do ano, já que os municípios do Litoral recebem dez vezes mais pessoas em relação à população local. “Guaratuba com seus 30 mil habitantes chega a receber 300 mil pessoas entre 20 de dezembro e 6 de janeiro e já registrou mais de 1 milhão durante o Réveillon. O Verão Maior vem para somar na prestação de serviços, garantindo que o acesso à polícia seja preservado a todos os turistas e à população local”, ressaltou.

“Reforçaremos o efetivo da Polícia Civil em todo o Litoral através de operações, investigações e levantamentos detalhados. Com o reforço do efetivo esperamos dar combate aos principais crimes”, arrematou o delegado do Centro de Operações Policiais Especiais, Rodrigo Brown.

Segurança esvazia carceragens do Litoral para a temporada

Com a transferência de cerca de 75 presos de Paranaguá nesta sexta-feira (20), a Secretaria da Segurança Pública do Paraná concluiu o trabalho de esvaziamento das delegacias de polícia dos municípios litorâneos. Cerca de 330 presos foram removidos das unidades de Antonina, Guaratuba, Matinhos, Morretes, Paranaguá e Pontal do Paraná e agora passam a ser custodiados em unidades de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba.

As remoções foram feitas desde o dia 11 e até esta sexta-feira (20) por 57 servidores do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), com o auxílio da Polícia Civil e da Polícia Militar. “É uma das ações para preparar o Litoral para a chegada dos veranistas, que buscam tranquilidade para o descanso”, destacou o secretário da Segurança Pública e coordenador do Verão Maior, Romulo Marinho Soares.

Nos nove dias de remoções, foram feitas 482 movimentações de presos. Durante a operação verão, que começa neste sábado (21/12), devem permanecer nas delegacias de polícia e cadeias públicas do Litoral apenas os presos em flagrante, que aguardarão a fase de investigação policial. Por isso, conforme a demanda, estão previstos deslocamentos e novos translados de presos.

“As novas prisões começam junto com o reforço das forças policiais no Litoral e, se houver necessidade, faremos novas transferências. O Departamento Penitenciário está preparado para realizar os trabalhos”, afirmou o diretor-geral do Depen, Francisco Alberto Caricati.

O coordenador do Verão Maior dentro da Polícia Civil, Gil Rocha Tesserolli, acredita que com o início dos trabalhos das polícias, o número de prisão vai aumentar bastante. “Esta é uma medida muito importante e que vai continuar durante toda a Operação Verão”, afirmou. “Para a Polícia Civil, o trabalho deve refletir em um atendimento mais eficiente à comunidade do Litoral e também aos veranistas que, por ventura, precisarem utilizar os serviços das Delegacias”, diz ele.

Além do esvaziamento, as transferências também garantem que cerca de 150 presos que estavam instalados em delegacias da Polícia Civil passem a ter as mesmas condições de custódia fornecidas em todo o sistema prisional, gerenciadas pelo Departamento Penitenciário.

PRESOS EM DELEGACIAS – Para reduzir a superlotação em carceragens de delegacias, um problema de décadas e que foi herdado pela atual gestão, entre diversas outras ações, durante o ano de 2019, a Secretaria da Segurança Pública transferiu 37 carceragens de delegacias da Polícia Civil para o Depen.

Com isso, cerca de 6 mil detentos passaram a ter as mesmas condições de custódia fornecidas em todo o sistema prisional, e mais de mil policiais civis foram liberados exclusivamente para o trabalho a que compete a função.