George Stinney Jr, de ascendência africana, foi a pessoa mais jovem a ser executada no século 20 nos Estados Unidos.


Este jovem negro tinha apenas 14 anos no momento de sua execução por cadeira elétrica.


70 anos depois, sua inocência acaba de ser oficialmente reconhecida por um juiz da Carolina do Sul.

De seu julgamento para a sala de execução, o menino sempre teve sua Bíblia nas mãos enquanto alegava sua inocência.

George foi injustamente acusado de assassinar duas garotas brancas (Betty 11 e Mary 7), cujos corpos foram encontrados não muito longe da casa onde o menino e seus pais moravam.

Naquela época, todos os membros do júri eram brancos. O julgamento durou 2h30, e o júri tomou a decisão de sua sentença após 10 minutos.

Os pais do garoto, ameaçados, foram impedidos de participar do julgamento depois de receberem ordens de deixar a cidade.

Antes de seu julgamento, George passou 81 dias detido sem a possibilidade de ver seus pais pela última vez.

Ele foi preso sozinho em sua cela, a 80 quilômetros de sua cidade natal.

Sua audição dos fatos foi feita sozinha, sem a presença de seus pais ou de um advogado.

A carga de eletrocussão de George foi de 5.380 volts em sua cabeça. Nós deixamos você imaginar o que um choque elétrico pode ter na cabeça de uma criança.