A situação dos pedágios paranaenses é uma vergonha nacional. Recentes investigações do Gaeco comprovam que desde a criação dos pedágios existe corrupção beneficiando políticos e servidores.

Valores estratosféricos foram roubados do povo paranaense para enriquecer quadrilheiros disfarçados de autoridades ou servidores – com cumplicidade da grande mídia nativa – penalizando os produtores rurais, o comércio, a indústria, o turismo e o cidadão comum. E o que acontece? Nada. Absolutamente nada. Como se os paranaenses fossem idiotas acostumados a serem roubados impunemente.

Em qualquer país civilizado do mundo – não é o caso do Brasil colônia – os valores roubados seriam contabilizados e devolvidos aos usuários das rodovias pedagiadas, e os ladrões seriam presos, com os bens entregues ao Estado. Mas não é o que acontece no Brasil. E ainda falam em moralidade pública, em combate à corrupção …

Há 33 meses do fim dos contratos de concessão das rodovias do Anel de Integração do Paraná, o governo Bolsonaro poderia reverter essa situação vergonhosa, uma vez que dos 2,5 mil quilômetros de estradas do Anel de Integração, 1,8 mil são da União.

Alguém acredita que moverão uma palha para restabelecer a verdade e a justiça nos pedágios paranaenses?

Nas estradas catarinenses a média dos valores por trecho de pedágio é de 4 reais. No Paraná é mais que o dobro. Temos um dos pedágios mais caros do país.

Nos países civilizados o pedágio é cobrado por veículo. No Brasil – para roubarem mais – cobram por eixo de caminhão.

 

Carla Regina