O Governo do Paraná promoveu ao longo desta sexta-feira (19), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, atividades voltadas à campanha do Outubro Rosa. Pela manhã, a governadora Cida Borghetti reuniu funcionárias do Palácio para conversar sobre o tema e estimular o uso de camisetas cor-de-rosa, que são o símbolo da campanha.

Segundo ela, as ações de prevenção do câncer de mama são essenciais para chamar atenção de toda a sociedade sobre a importância do autoexame e do diagnóstico precoce. “O Estado está mobilizado para combater a doença”, disse.

“Essa doença ainda é o que mais mata mulheres no mundo. Por isso, quanto mais informações tivermos, mais fácil será reduzir esses índices”, ressaltou a governadora.

Cida, quando deputada estadual, foi autora da lei que instituiu o Dia de Luta Contra o Câncer de Mama no Paraná.

De acordo com o secretário estadual da Saúde, Antônio Carlos Nardi, todos os 399 municípios do Paraná estão mobilizados na luta contra a doença. “Temos diversas atividades, contraturno para atendimentos nas unidades de saúde e oferta de 30% a mais no efetivo de cotas de mamografia para garantir à mulher orientações sobre os exames”, disse. “Queremos nossas mulheres saudáveis”, acrescentou.

PALESTRA – À tarde, cerca de 20 servidoras do Estado participaram de uma palestra com Tânia Mary Gomez, presidente do Instituto Humanista de Desenvolvimento Social (Humsol), organização não governamental que busca reduzir os índices de mortalidade por câncer de mama no Brasil por meio de palestras, danças e oficinas.

“Com essas palestras, levo meu exemplo de superação, pois sou uma paciente de câncer de mama e graças a um diagnóstico precoce estou aqui viva curtindo cada minuto”, disse. “Procuro também dizer para as mulheres não terem medo de fazer seus exames, pois se algo é descoberto em tempo hábil existem chances de cura”, afirmou.

AUTOEXAME – Uma das participantes do encontro foi Lucineia Cirini, 28, que é servente do Estado. Ela disse que não faz o autoexame com frequência, mas mudará de comportamento a partir de agora. “A gente fica mais consciente quando alguém chega e fala para gente sobre a importância da prevenção”, afirmou.

Opinião semelhante tem a faxineira Isabel Irene de Lima, 61. “Também não costumo fazer o autoexame, mas a partir de agora vou fazer. As pessoas têm que cutucar a gente para que possamos aprender”.

O secretário Especial do Trabalho e Relações com a Comunidade, Paulo Rossi, também esteve presente, e disse que é essencial informar as pessoas sobre a prevenção da doença. “Isso porque se o câncer for diagnóstico cedo, os trabalhadores e a população conseguem vencê-lo”, afirmou.