A taxa de câmbio do dólar em relação ao euro atingiu o nível mais baixo desde dezembro de 2014.

Esta desvalorização da moeda norte-americana ocorreu devido à possibilidade de a UE poder endurecer sua política monetária mais cedo do que o previsto.

Em 15 de janeiro um euro valia 1,2224 dólares que, ou seja, se observa um aumento de 0,0022 dólares em comparação com a taxa de câmbio registrada na bolsa de Nova York durante a sessão anterior (1,2202 dólares por 1 euro).

Na sequência das declarações de Haruhiko Kuroda, governador do Banco do Japão, a taxa de câmbio do iene japonês em relação ao dólar também bateu um recorde dos últimos quatro meses.

Em particular, Kuroda fez uma previsão positiva quanto à economia e inflação no seu país, informou a agência Reuters. Segundo o governador do Banco Central do Japão, o crescimento moderado da economia japonesa continuará, enquanto a inflação alcançará dois por cento em breve. Nestas circunstâncias, a taxa de câmbio do euro em relação ao iene caiu de 135,52 ienes para 135,31 ienes em 12 de janeiro, enquanto a cotação do dólar face à moeda japonesa baixou de 111,06 ienes para 110,71.

Quanto à moeda chinesa, o yuan também alcançou seu valor máximo dos últimos dois anos na bolsa de Xangai. A taxa de câmbio da moeda chinesa aumentou 0,67% em relação ao dólar, alcançando 6,4138 yuanes por dólar, informou a agência Bloomberg.

Sputnik Brasil

………………………………………………………………………………..

BRIGA NA FAMÍLIA REAL SAUDITA AMEAÇA O DÓLAR

NR – A família real saudita – maior fornecedora de petróleo aos EUA – está dividida e à beira de uma guerra interna, graças a mais uma intervenção desastrada do governo Donald Trump. Ao privilegiar e apoiar o novo príncipe herdeiro, Mohamed Bin Salman,  à revelia da maioria dos membros da família real, Trump conseguiu dividir a Casa de Saud.

Dezenas de príncipes foram presos e as famílias prometem reagir. Trata-se de famílias poderosas, bilionárias, capazes de desestabilizar a economia saudita e norte-americana.

O dólar está caindo em função das desavenças dentro da família real saudita. O dólar se mantém confiável por causa do petrodólar. Assim que o petrodólar desabar, levará consigo o dólar e toda a economia norte-americana.