DCM – Arthur Mamãe Falei, o deputado youtuber que ganha dinheiro fazendo seus pares de palhaços. Por José Cássio

Com 2,5 milhões de inscritos no seu canal do YouTube, Arthur Mamãe Falei virou deputado estadual pelo DEM e está colocando fogo na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

A última polêmica aconteceu nesta terça, 4 de junho, quando os parlamentares debatiam em sessão extraordinária o Projeto 04/ 2019, de autoria do governador João Doria e que eleva o salário dos fiscais de renda do Estado.

O deputado do MBL primeiro afirmou que queria ver a “cara de pau” de quem iria votar favorável. Na sequência, chamou os colegas de “vagabundos”.

O presidente da Casa, Cauê Macris, suspendeu a sessão para ver se os ânimos serenavam, mas em vão: neste momento Mamãe Falei já estava entretido numa live ao vivo com seus milhões de seguidores.

Na volta da sessão, foi ao microfone de apartes e reiterou tudo o que dissera momentos antes, para desespero de “velhas raposas” como Campos Machado, líder do PTB, e Barros Munhoz, chefe do PSB e que já presidiu a Alesp em duas oportunidades.

As bancadas de deputados do PT e do PSOL se juntaram aos demais indignados contra o que chamaram de intimidação da democracia.

No final da noite, corria uma lista de adesão a um pedido de acionamento do Conselho de Ética, do Ministério Público e da Justiça.

Além da acusação de intimidação e quebra de decoro, Arthur Mamãe Falei pode ser enquadrado por cometer crime financeiro, pois viraram rotina em plenário e nas salas de Comissões as suas transmissões ao vivo. Com quase três milhões de inscritos no seu canal, calcula-se em 20 mil reais o que arrecada a cada vez que aciona o play.

Colegas parlamentares dizem que ele age de caso pensado: cria a confusão e imediatamente começa a transmitir tudo.

Na sua posse, em 15 de março, torceu o braço da então líder do PT, Beth Sahão, ao tomar-lhe o microfone de apartes.

Em 15 de maio, quando estudantes e professores rumaram para a Alesp durante os protestos contra o corte de verba das Federais, ficou na grade acompanhado de policiais insultando os manifestantes.

A agressividade e as polêmicas protagonizadas pelo youtuber não configuram grande novidade na cena política brasileira. Por essa razão não dá para apostar que ele será enquadrado por falta de decoro ou por desqualificar a democracia intimidando seus pares.

Fazer dinheiro durante o expediente, porém, são outros quinhentos.

Por isso a curiosidade de saber qual será a decisão do MP e da Justiça assim que receberem oficialmente o relato do ocorrido nesta terça.