O encontro iniciado à pouco no Hotel Capella da Ilha Sentosa, em Singapura, entre o marechal Kim Jong Un e o presidente Donald Trump, é motivo de jubilo para todos aqueles que defendem a paz na Península Coreana e a unificação da Coreia.

Pela primeira vez na história um presidente norte-americano foi obrigado a negociar de igual para igual com a liderança norte-coreana.

Esperamos que o encontro resulte em medidas concretas para evacuar as 23 bases militares norte-americanas instaladas na Coreia do Sul, assim como sejam eliminadas as bombas atômicas que os EUA levaram para o território coreano para ameaçar e chantagear a Coreia do Norte.

Graças à política firme, corajosa e destemida iniciada pelo líder Kim Il Sung, levada À cabo por Kim Jong Il, e finalmente coroada de êxito pelo marechal Kim Jong Um, a República Popular e Democrática da Coreia – Coreia do Norte – é hoje uma potência nuclear capaz de atingir os EUA e todos os países aliados ao imperialismo norte-americano na Ásia e Pacífico. Por este motivo a maior potência militar do planeta – os EUA – se curvou ao poderio norte-coreano.

Desejamos lembrar as sábias palavras do presidente do Irã endereçadas ao marechal Kim Jong Um, através de ofício onde o líder iraniano lembra que a política norte-americana é traiçoeira.

As palavras do presidente Donald Trump não explicam, por exemplo, a presença de tropas norte-americanas no Afeganistão, no Iraque, na Síria e diversos outros países com o único propósito de roubar as riquezas naturais e submeter os povos e nações à política ensandecida do imperialismo norte-americano.

Que a paz seja construída em bases permanentes e sólidas na Península Coreana.

 

a) Comitê Brasileiro de Solidariedade à RPD Coreia – Coreia do Norte