Segundo as informações mais recentes, o incidente que se deu em Pedrógão Grande produziu 62 vítimas mortais e 54 feridos, sendo que o incêndio continua descontrolado.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, já expressou sua profunda preocupação com a situação em Portugal e elogiou “a coragem dos bombeiros” no seu Twitter. Além disso, o político europeu afirmou que o mecanismo de proteção civil da UE já foi ativado e fará questão de ajudar ao país lusitano.

​O respectivo mecanismo da União Europeia ajuda a coordenar as ações de 34 países (países-membros da UE, bem como a Macedônia, Islândia, Montenegro, Noruega, Sérvia e Turquia) em desastres naturais.

Os países-membros fornecem recursos que podem ser usados nas situações críticas em outros países, sendo que a ativação deste mecanismo ajuda a coordenar a assistência tanto dentro como fora da UE.

Vale destacar que, em agosto do ano passado, Portugal também evidenciou incêndios florestais violentos na mesma zona, bem como na cidade do Funchal, que fica na ilha da Madeira. Na época, os bombeiros do Ministério das Emergências da Rússia, equipados com aviões anfíbios Be-200 russos, chegaram ao país para ajudar Portugal a combater a calamidade, recebendo elogios do premiê António Costa.

Sputniknews