A Universidade Federal do Paraná (UFPR) informa que recebeu hoje a comunicação, por parte do Ministério da Educação (MEC), sobre o bloqueio orçamentário de 30% das verbas destinadas ao seu custeio. Este corte, de mais de 48 milhões de reais, impactará itens relativos ao próprio funcionamento da instituição, atingindo diretamente despesas ordinárias como consumo de água, energia, contratos de prestação de serviços, restaurantes universitários, entre outros. Se esta medida não for revertida, as consequências serão graves para o desempenho das atividades da Universidade no segundo semestre de 2019.

A UFPR reforça, como tem feito reiteradamente, que o investimento nas universidades federais é importante para a soberania nacional, para a formação de excelência das futuras gerações, para o aumento da qualidade de vida da população e para o próprio desenvolvimento pleno da economia nacional, nas indústrias ou no agronegócio, por exemplo.

Sendo a mais antiga universidade em funcionamento no país, a UFPR atende a uma comunidade com mais de 33 mil alunos, em 164 cursos de graduação e 89 programas de pós-graduação com 89 mestrados e 61 doutorados, além de 45 cursos de especialização e profunda inserção na nossa comunidade em 392 projetos e programas de extensão.

Contamos com o diálogo com as instâncias competentes do governo federal para continuar atendendo à comunidade paranaense, como temos feito há mais de 106 anos, sem o perigo de interrupção das nossas atividades, o que acarretará prejuízos imensuráveis para os nossos estudantes e para a sociedade.

 

 

UFPR destaca-se em rankings nacionais e internacionais

Nossa Universidade é pautada pela tolerância, pluralidade, inclusão social e é destaque entre as melhores universidades brasileiras, como demonstram os mais sérios rankings nacionais e internacionais. Segundo o Ranking Universitário Folha (RUF) 2018 (divulgado em out/18):

 colocada no ranking geral;

melhor nota entre as universidades do Paraná (92.82);

 colocada no ranking de inovação;

 colocada no ranking de ensino;

11ª colocada no ranking de pesquisa;

* 13ª colocada no ranking de mercado.

No ranking de universidades estão classificadas as 196 universidades brasileiras, públicas e privadas, a partir de cinco indicadores: pesquisa, internacionalização, inovação, ensino e mercado.

. instituição que mais publica trabalhos científicos no Brasil, responsável por 3,8% da produção científica no país, segundo Clarivate Analytics, com dados do serviço de indexação de citações científicas Web of Science, a pedido do Jornal da USP, divulgado em abril/19;

 melhor instituição de ensino superior do Brasil; 1ª no Paraná; 583ª posição no mundo entre 3 mil instituições. Segundo o University Ranking by Academic Performance (URAP) 2018-2019, divulgado em jan/19. (O foco do sistema de classificação da URAP é a qualidade acadêmica e para mensurar isso a instituição leva em consideração a produtividade científica atual, o impacto e a qualidade das pesquisas e a aceitação internacionais).

* Uma das 20 instituições de ensino superior brasileiras incluídas entre as mil melhores do mundo; 10º lugar entre as brasileiras; única universidade do Paraná incluída no ranking Center for World University Ranking (CWUR), divulgado em jun/18. (No ranking geral, formado por mil universidades do mundo todo, a UFPR subiu 229 posições em relação a 2017, passando da 938ª para a 709ª posição. A Universidade é a 436ª em resultados de pesquisa e a 657ª em qualidade de publicações. Para elaborar o ranking, o CWUR leva em conta dados relacionados à qualidade do ensino, empregabilidade dos ex-alunos, relevância, impacto e influência das pesquisas desenvolvidas na instituição).

24ª melhor universidade da América Latina; 12° lugar entre as universidades brasileiras; Das 30 universidades brasileiras mais bem classificadas, 24 são federais e as restantes são estaduais – ou seja, todas são públicas; segundo o portal norte-americano especializado em rankings de educação US News & World Report, divulgado em nov/18. (O ranking é elaborado com base nos dados da Web of Science e nas métricas do InCites fornecidas pela Clarivate Analytics. A metodologia leva em conta fatores que medem a reputação da pesquisa global e regional de uma universidade e o desempenho da pesquisa acadêmica. Para o ranking geral, isso inclui indicadores bibliométricos, como publicações, citações e colaboração internacional).