O Paraná busca uma cota de novos recursos para o programa habitacional Minha Casa Minha Vida. A expectativa é que mais cinco mil residências sejam construídas no Estado, com recursos de cerca de R$ 250 milhões. O assunto foi tratado pelo governador Beto Richa e o presidente da Cohapar, Abelardo Lupion, com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, nesta quarta-feira, em Brasília.

A ideia é priorizar a construção de moradias nos municípios paranaenses com o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). O intuito é viabilizar a ampliação do atendimento a famílias paranaenses em situação de vulnerabilidade social que residem em condições precárias. O Ministério das Cidades irá construir, em todo o País, 100 mil residências para atender a faixa 1 do programa, que subsidia parcialmente moradias para famílias com renda de até R$ 1,8 mil.

“Nosso programa de habitação prioriza a moradia social. Favorece as famílias que têm uma dificuldade maior para realizar o sonho da casa própria. E esta nova etapa do plano habitacional do governo federal coincide justamente com os objetivos estabelecidos em nossa proposta”, afirmou o governador. “Daí a importância de fortalecer esta parceria entre o Estado e a União na construção de novas casas”, ressaltou.

Segundo o presidente da Cohapar, o ministro Bruno Aarújo foi receptivo ao pleito do Paraná. “Foi uma reunião muito boa e acreditamos que vamos colher muitos bons frutos dessa iniciativa”, afirmou Lupion.

CARTÃO REFORMA – No encontro, também foram discutidos detalhes sobre o funcionamento do programa Cartão Reforma, para ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social a fazer melhorias em suas residências. O cartão pode ser utilizado na aquisição de materiais de construção destinados à reforma, ampliação ou conclusão de moradias.

De acordo com o presidente da Cohapar, o governo federal deverá publicar as regras para o acesso ao Cartão Reforma até o início de abril. “A expectativa é que o Ministério das Cidades disponibilize 10 mil cartões para o Estado, com valores que variam de R$ 2 mil a R$ 9 mil”, explicou Lupion. “Com esse programa, milhares de famílias terão oportunidade de melhorar as condições das casas em que vivem”, destacou.

BALANÇO – Desde 2011, os projetos habitacionais do Governo do Paraná, desenvolvidos em parceria com o governo federal, resultaram na construção de 80 mil moradias, sendo 13 mil unidades rurais. Além de beneficiar as famílias atendidas, os investimentos de R$ 4,7 bilhões também ajudaram a movimentar a economia do Estado e geraram emprego e renda na indústria da construção civil.

FGTS – O presidente e os diretores da Cohapar também participam, nesta quarta-feira, de uma reunião com o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, e o vice-presidente de Habitação do banco, Nelson de Souza. O objetivo foi conseguir mais agilidade nas contratações de novos empreendimentos habitacionais com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

PRESENÇAS – O secretário especial de Representação do Paraná em Brasília, Paulo Martins, e o deputado estadual Pedro Lupion também participaram da reunião.

 

Agência Estadual de Notícias