Observatorio3Setor

POR MARIA FERNANDA GARCIA

O Brasil comemora hoje o Dia das Mães. Mas para milhões de brasileiras vai ser mais um dia de luta para conseguir sustentar seus filhos. O Brasil tem 54,8 milhões de pessoas que vivem com menos de R$ 406 por mês, dois milhões de pessoas a mais que na última pesquisa divulgada em 2017. Com isso, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que a proporção da população em situação da pobreza subiu de 25,7% para 26,5% em um ano.

Um dos grupos mais vulneráveis é composto pelas pessoas que moram em domicílios formados por arranjos cujo responsável é mulher sem cônjuge com filhos de até 14 anos de idade: 56,9% dessas pessoas vivem em situação de pobreza. Se o responsável desse tipo de domicílio (monoparental com filhos) é uma mulher preta ou parda, a incidência de pobreza sobe ainda mais, a 64,4%.

Da mesma forma, a pobreza atinge mais as crianças e adolescentes de até 14 anos de idade (43,4%) e homens e mulheres pretos ou pardos.

Segundo o estudo, seria necessário investir R$ 10,2 bilhões por mês na economia para que a pobreza fosse erradicada. Além da opção de investimento na economia, o estudo também diz que a outra alternativa seria garantir R$ 187 por mês a mais, em média, na renda de cada pessoa que está em situação de pobreza.

A fome já atinge milhões de brasileiros, superando populações inteiras de países como o Uruguai. O relatório internacional ‘O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo 2018′, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), mostrou que a fome atinge 5,2 milhões de pessoas no Brasil.