DCM – por Joaquim de Carvalho

O caso Neymar se tornou mais complicado depois que o pai dele revelou, em entrevista à Band, que o jogador teve um segundo encontro com mulher que o acusa de estupro. No vídeo que gravou e divulgou, com imagens e mensagens íntimas da suposta vítima, Neymar omitiu esta informação.

“Ela queria de qualquer jeito que ele fosse ao hotel de novo. Ele foi e ficou dez minutos. Viu o celular em pé na parede, carregando. Mas ele percebeu que estava filmando. Ela agride ele, ele se joga para a cama e tenta acalmar ela, sai do hotel e emite a passagem de retorno”, contou.

O pai de Neymar está, ao que tudo indica, se antecipando ao que vem por aí: um vídeo que mostra o jogador e a mulher em situação de violência, rolando na cama.

O segundo encontro não foi divulgado no vídeo gravado pelo jogador (e retirado do Instagram por ele).

Agora, ao se saber que omitiu esse segundo encontro, Neymar aumenta, fortemente, a suspeita sobre seu comportamento.

Também é estranho que ele tenha ido para esse segundo encontro, segundo o pai, preparado para fazer gravação. “O Neymar também tentou filmar, gravar a conversa. Mas ele erra tudo. Bota o celular no bolso, e não consegue”, disse Neymar pai.

Como disse Neymar Júnior no vídeo divulgado para se defender, o encontro com a mulher teria sido tranquilo, próprio de um relacionamento entre pessoas adultas.

“O que aconteceu foi totalmente contrário ao que falam, ao que dizem. Estou muito chateado neste momento, mas, a partir de agora, vou expor tudo, expor toda a conversa que eu tive com a menina, todos os nossos momentos, que é íntimo (sic), mas é necessário abrir, é necessário expor, para provar que realmente não aconteceu nada demais. (…) Vocês vão ver tudo o que aconteceu nesse dia e no outro dia, porque o que aconteceu num dia foi uma relação de homem e mulher, dentro de quatro paredes, algo que acontece com todo o casal. E no dia seguinte não aconteceu nada demais, a gente continuou trocando mensagem, ela me pediu uma lembrança para o filho, e eu ia levar”, disse.

Se já se sabe que não é verdade, a partir das declarações do pai de Neymar. O que ele levou para o encontro foi um plano para gravar. Com que propósito, não se explicou até agora.

“Mas ele erra tudo (a gravação)”, afirmou Neymar pai. “Bota o celular no bolso, e não consegue. Aí ele viu que podia ser uma armadilha. Depois desse segundo encontro, eles não se falam mais. Ela ainda mandou mensagens ameaçadoras depois”, acrescentou.

Naturalmente, não foi o encontro normal descrito pelo jogador de futebol. Ele mentiu, com certeza.

O problema da mentira é este: quando se mente uma vez, é preciso contar várias outras mentiras para poder sustentar a primeira, e a situação só se complica. É o que está acontecendo.

Ao revelar o segundo encontro e admitir uma situação de violência, cuja culpa ele atribui à mulher, o pai de Neymar está se antecipando ao pior. Na entrevista à Band, o pai de Neymar revelou que ela disse, em mensagem, que tem o vídeo desse segundo encontro.

Quando (e se) for divulgado, Neymar e o pai terão que arrumar outras explicações. Neymar está ficando numa situação insustentável.

A Globo, que tem empresarialmente interesse na preservação da imagem de Neymar, também se enveredou por uma trilha que prejudica o público, e a ética.

Ontem, ao tratar do caso, deu destaque a um advogado que renunciou à defesa da mulher que acusa Neymar. Quem estaria passando esta informação que deveria ficar restrita à relação entre cliente e advogado?

Certamente, não é a cliente, que não teria nenhum interesse nesse tipo de exposição.

A apresentadora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos, entregou. Foi o advogado.

“E agora à noite, o ex-advogado da mulher que afirma ter sido estuprada por Neymar divulgou o documento sobre a rescisão de contrato entre eles”, disse.

O repórter chamado para dar detalhes do caso tentou consertar a situação, mas não convenceu.

“A TV Globo teve acesso agora à noite a esse documento. Só uma retificação. Não foi divulgado pelo advogado, mas eu conversei com José Edgard Bueno…”

Se não foi o advogado que divulgou, quem foi? A mulher? Claro que não. A outra alternativo é imaginar que a Globo esteja interceptando comunicações privadas entre duas pessoas – o que acredito não ser o caso.

Estranho o comportamento do advogado. Nessa história do Neymar, não é só o jogador que está faltando com a verdade.