247 – O jornalista Luis Nassif, do Jornal GGN, apontou a incoerência do procurador da Lava Jato Roberson Pozzobon, que saiu em defesa do colega procurador Januário Paludo, que foi acusado pelo doleiro Dario Messer de receber propina mensal em troca de proteção.

“Curioso. Foi a própria Lava Jato do Rio quem apurou a suspeita. Como manifestar solidariedade antes de investigar? Tem que se conferir pleno direito de defesa, mas absolvição prévia e a outra face do estilo condenação prévia da Lava Jato”, esreveu Nassif pelo Twitter.

O doleiro Dario Messer afirmou em mensagens trocadas com sua namorada, Myra Athayde, que pagou propinas mensais ao procurador da República Januário Paludo, da Lava Jato do Paraná. Os pagamentos estariam ligados a uma suposta proteção. Os diálogos de Messer sobre a propina a Paludo ocorreram em agosto de 2018 e foram obtidos pela PF (Polícia Federal) do Rio de Janeiro durante as investigações que basearam a operação Patrón, última fase da Lava Jato do Rio.

Segundo reportagem do jornalista Vinícios Konchinski, produzida para o portal UOL, um relatório a respeito do conteúdo das mensagens foi elaborado pelo órgão em outubro. Nele, a PF diz que o assunto é grave e pede providências sobre o caso (leia mais no Brasil 247).