“No caso do triplex de Guarujá, a denúncia diz que a suposta corrupção se materializou pelo ‘branqueamento’ via reforma do apartamento que seria destinado ao ex-presidente, que se viu condenado por ambos os fatos, o que gerou uma pena quase ‘dobrada'”, escreve o jornalista

247 – O jornalista Luis Nassif explica em texto publicado no Jornal GGN, como a Lava Jato inventou uma segunda pena para elevar a pena e evitar que o processo contra o ex-presidente Lula prescrevesse e ele pudesse ir para a prisão.

“No caso do triplex de Guarujá, a denúncia diz que a suposta corrupção se materializou pelo ‘branqueamento’ via reforma do apartamento que seria destinado ao ex-presidente, que se viu condenado por ambos os fatos, o que gerou uma pena quase ‘dobrada'”, escreve Nassif.

“Bastaria a correção dessa interpretação abusiva, para caber de imediato o regime aberto para Lula. E toda essa manobra da 2ª Turma do TRF4, visou agravar a pena para evitar a prescrição, devido à idade de Lula. O jogo foi escandaloso”, diz ainda. Leia aqui a íntegra.