Por General de Brigada Bolivar Marinho Soares de Meirelles

 

Vice Presidente Mourão, nem o Capitão Presidente se apressou em defender o Ex Juiz Moro, hoje conhecido como maculador da língua de Camões.

 

Por que apressar-se General Vice Presidente Mourão?

 

Será que com receio de que o Ex Comandante do Exército, o General Vilas Boas ao pressionar o Supremo esteja envolvido também nesse Golpe Sujo?

 

As Forças Armadas já se envolveram na sujeira das torturas, estupros, assassinatos ocorridos em suas dependências ou na Casa de Petrópolis.

 

General Mourão, Vossa Excelência já corroborou, junto ao Capitão Presidente, na defesa do ignóbil Coronel Ulstra, ícone dos torturadores no Regime Ditatorial Militar dos idos de sua implantação em abril de 1964.

 

Hoje, um Presidente que defende o filho Senador envolvido com as Milícias criminosas do Rio de Janeiro já mancha a figura de qualquer militar participante de seu Governo.

 

Generais a vontade espalham-se por altos cargos. Quer queiram ou não, estão levando a presença das Forças Armadas.

 

Defender envolvidos com milicianos, defender ex juiz e Membro do Ministério Público descumpridores dos preceitos legais é vexatório para membros do Governo que fizeram suas carreiras integrais na Corporação Militar.

 

Talvez fosse o momento (quem sabe?) do afastamento desse Governo dos oriundos da caserna.

 

Para que? Para não darem continuidade aos que, no uso da tortura, na permissão de estupros, nos assassinatos do próprio militar, elamiaram as fardas antes vestidas por Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Benjamin Constant, Rondon, Siqueira Campos e outros importantes ícones militares que tanto honraram o Brasil e o Povo Brasileiro.

 

Rio de Janeiro, 11 de junho de 2019

 

Bolivar Marinho Soares de Meirelles

General de Brigada Reformado