O prefeito Rafael Greca e o secretário municipal da saúde de Curitiba, João Carlos Baracho, deram início ao Mutirão de Ortopedia hoje, com uma visita ao Ambulatório SAM 8 do Hospital de Clínicas. A ação integra as comemorações dos 324 anos de Curitiba e também é parte da estratégia Saúde Já, lançada em fevereiro. Com um investimento R$ 12 milhões e a perspectiva de beneficiar 200 mil pessoas aproximadamente, o Saúde Já prevê um conjunto de ações para diminuir o tempo de espera nas filas por exames, consultas e cirurgias na capital.

Há 25.405 pessoas na fila da Ortopedia e o tempo médio de espera chega a 22 meses para consulta, se não houvesse uma ação como a do Saúde Já. No caso de necessidade de uma cirurgia de ombro e cotovelo, a espera poderia chegar a 82 meses. Os beneficiados pelo mutirão serão atendidos, além do Hospital de Clínicas, também no Hospital Evangélico, Trabalhador, Cajuru, Santa Casa, São Vicente, Madalena Sofia, Centro Hospitalar de Reabilitação.

“A fila da ortopedia vai andar. A população reage com entusiasmo quando a fila anda. A população tem que ser bem servida e com o mutirão teremos a diminuição da dor das pessoas. 22 meses para quem está na espera são 22 meses de dor. Muito pior para quem tem que fazer cirurgia de cotovelo, que está na fila há 82 meses”, diz Greca.

Marli de Fátima Silva, 51 anos, é um exemplo disso. Ela é uma das beneficiárias do Mutirão de Ortopedia e foi atendida hoje no Hospital de Clínicas. Aguardando uma consulta com ortopedista há dois anos, conta que costuma chorar de dor nos braços. “Eu tomo paracetamol para controlar, mas não resolve. A espera é angustiante. Por isso, fiquei muito feliz quando me chamaram. Agradeço à prefeitura de Curitiba e espero que as ações como essas continuem para que possa atender mais pessoas que precisam”, afirma.

De acordo com Baracho, o Saúde Já é uma estratégia com ação imediata e concentrada, acelerando o processo de atendimento, para que a fila ande. “É um esforço do Sistema Único da Saúde para equacionar o problema das filas nas especialidades. Saúde é prioridade para atual gestão e a nossa expectativa é que a população vá reconhecendo a mudança de postura”, afirma Baracho.

Os usuários que estão na fila serão convocados via posto de saúde, não havendo necessidade de buscar por conta própria. A orientação apenas é para que aqueles que tenham mudado de endereço, busquem manter o cadastro atualizado no posto de saúde. O secretário também solicita aos usuários que, se não puderem comparecer ao agendamento realizado, avisem a unidade de saúde com antecedência, para que outro usuário da fila possa ser chamado. “Faço um apelo para que a população participe, quando for chamada para comparecer. Nós estamos zelando pela população, mas a população também tem que zelar pela sua saúde”, diz.

Especialidades

Na estratégia Saúde Já, além da ação continuada de mutirão de Ortopedia já foram lançados também os mutirões de vasectomia, dermatologia, cardiologia, exames complementares e no Laboratório Municipal. O próximo a ser lançado é o mutirão de cirurgia vascular.

No Ato de Revitalização do Laboratório Municipal, no último dia 7, o prefeito Rafael Greca anunciou o fim das cotas para exames laboratoriais impostas pela gestão do ex-prefeito Gustavo Fruet. Com a capacidade do laboratório retomada, a fila de 330 mil exames será equacionada em dois meses pela nova gestão.

No mutirão de Dermatologia, lançado no dia 9 de março, estão sendo atendidas no Hospital Evangélico 15.810 pessoas que aguardavam consultas dermatológicas e 4.260 que esperavam para realizar pequenas cirurgias de pele. A fila para Vasectomia, com 776 pessoas, também está sendo atendida no Evangélico desde o dia 9 de março. No mutirão de Cardiologia lançado no dia de 16 de março, no Hospital do Idoso, estão sendo atendidas 6.066 pessoas.

Já a ação continuada do mutirão de Exames Complementares foi lançada no dia 30 de março. Há 72.245 procedimentos na fila. Só na fila da Endoscopia são 21.322 pessoas e na fila da ultrassonografia de articulação 15.374. Estão sendo realizados ecocardiografia transtorácica, ultrassonografia do aparelho urinário, ultrassonografia de articulação, ultrassonografia de abdômen superior, ultrassonografia de tireóide, teste ergométrico, ressonância magnética, endoscopia, ultrassonografia mamária, ultrassonografia de próstata, raio-X de tórax. Participam do mutirão de Exames Complementares o Hospital Erasto Gaertner, Cruz Vermelha e Hospital do Idoso

O próximo mutirão programado será de Cirurgia Vascular, previsto para iniciar em 27 de abril. Esta especialidade tem 11.098 pessoas aguardando atendimento e o tempo de espera costuma ser de 20 meses.

 

Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba