Redação, Brasil de Fato

Cerca de 350 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam na manhã desta quarta-feira a Fazenda Esmeralda, entre Lucianópolis e Duartina, no estado de São Paulo.

A fazenda foi citada nas delações de Ricardo Saud e Joesley Batista, no âmbito do inquérito que investiga irregularidades na elaboração da Medida Provisória 595, conhecida como a MP dos Portos.

Saud e Joesley relataram conversas com o Deputado Paulinho da Força (SD), em que afirmam que a Fazenda Esmeralda é de propriedade do presidente Michel Temer. O MST reivindica que a área seja destinada para a Reforma Agrária.

Oficialmente a Fazenda Esmeralda pertence à empresa Argeplan, do amigo pessoal de Temer, João Batista Lima Filho, o Coronel Lima.

Temer e Lima tiveram o afastamento de seus sigilos bancários e fiscais solicitados pelo ministro Luis Roberto Barroso, relator do inquérito no STF.

Esta é a terceira vez que o MST ocupa a fazenda Esmeralda. “Denunciamos a ilegitimidade do governo golpista de Temer e nos posicionando contra a sua agenda de retrocessos para a classe trabalhadora”, afirma a dirigente do MST, Joana Costa.

A ação integra a Jornada Nacional de Luta das Mulheres Sem Terra.

“Neste tempo de golpe, os índices de violência contra as mulheres crescem de maneira alarmante, e percebemos que isso ocorre junto com o ataque aos nossos direitos, que Temer, o Congresso e o Judiciário tem orquestrado com o apoio da mídia”, afirma Costa.