De acordo com o jornal The Jerusalem Post, o serviço de inteligência de Israel, Mossad, teria fornecido ao governo de Israel cerca de 100 mil kits para teste de coronavírus que, de acordo com o Ministério da Saúde israelense, “não são exatamente aqueles que estávamos precisando”.

Um porta-voz do Ministério da Saúde explicou que os kits não teriam o líquido específico necessário para detectar o coronavírus, reportou o The Jerusalem Post.

De acordo com o jornal, as autoridades israelenses pediram para que o Mossad buscasse fornecedores de testes para Israel, uma vez que a operação envolveria países que não mantêm relações diplomáticas com Tel Aviv.

“Estamos em guerra. Durante a guerra, precisamos unir forças com todos para podermos ganhar”, disse o diretor-geral do Ministério da Saúde, Moshe Bar Siman Tov.

A missão delegada ao Mossad pelo Ministério da Saúde israelense tinha como objetivo aumentar a capacidade diária de testes de Israel de 3.000 para 5.000.

O número de casos reportados em Israel até o momento é de 529. Mundialmente, o coronavírus já infectou 222.643 pessoas e fez 9.115 vítimas fatais.

Sputnik Brasil