A Repórter Andréia Sadi, da Globonews, publicou em seu Blog que “ministros da ala militar do governo passaram a defender que o presidente Jair Bolsonaro “volte para o compasso” e chame o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para conversar.

Em crise desde a semana passada, o relacionamento entre os presidentes da República e da Câmara dos Deputados está levando o país a impasses políticos, que podem redundar não só na derrota da reforma da Previdência, como a inviabilizar a própria continuidade do governo Bolsonaro.

“Para ministros da ala militar – diz o Blog – o Palácio do Planalto precisa focar na aprovação da reforma Previdência e não se perder em outros temas, como tem acontecido nos últimos dias, defendendo, por exemplo, as comemorações do golpe de 1964.

Um integrante do governo usou a seguinte expressão para definir a troca de farpas entre Rodrigo Maia e Bolsonaro: “Estamos gastando pólvora em chimango’’. A expressão gaúcha significa gastar o tempo com bobagens.