Reportagem da agência Reuters revela que integrantes do governo Bolsonaro estão perplexos com a decisão de transferir a embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém – decisão que atende apenas aos interesses geopolíticos da extrema-direita de Israel e dos Estados Unidos. “Jair Bolsonaro tem sido alertado sobre a importância dos países árabes para o setor agrícola brasileiro”, disse à Reuters a fonte, na condição de anonimato. “São bilhões por ano”

RIO DE JANEIRO (Reuters) –Integrantes do futuro governo estão alertando ao presidente eleito Jair Bolsonaro sobre o risco que representará ao país a possível mudança da sede da embaixada do Brasil em Israel, disse à Reuters uma fonte em condição de sigilo.

Segundo a fonte, a transferência da sede de Tel Aviv para Jerusalém poderia trazer consequências ao país, especialmente no campo comercial.

O Brasil é o maior exportador mundial de carnes para países árabes, que são contra a posição de reconhecer Jerusalém como território exclusivamente israelense.

Alguns países da chamada liga Árabe alertaram que uma mudança poderia abalar o comércio entre Brasil e suas nações e as exportações brasileiras poderiam ficar comprometidas.

“Jair Bolsonaro tem sido alertado sobre a importância dos países árabes para o setor agrícola brasileiro”, disse à Reuters a fonte, na condição de anonimato. “São bilhões por ano.”

O setor agropecuário foi um dos principais apoios obtidos por Bolsonaro durante a sua campanha presidencial e a bancada no congresso será fundamental para a aprovação de reformas estruturais previstas pelo futuro governo.

A fonte destacou, no entanto, que Bolsonaro quer fazer um gesto de “agrado” a Israel como forma de aproximação estratégia com o país alinhado com os Estados Unidos.

“Ele (Bolsonaro) gostaria de se aproximar de Israel, que tem a sua admiração, através desse gesto diplomático”, frisou a fonte.

O premier de Israel Benjamin Netanyahu está no Brasil desde a semana passada e na sexta-feira passada se encontrou com Bolsonaro. Ele também vai à posse do presidente eleito na capital federal na terça-feira.

No fim de semana, Netanyahu, disse que Bolsonaro lhe confessou o desejo de transferir a embaixada em Israel e que a questão era quando isso irá ocorrer e não se ela vai acontecer.

Irã critica planos de mudança de embaixada brasileira para Jerusalém

O Globo informa que o governo do Irã criticou nesta segunda-feira os planos do Brasil de mudar a embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. De acordo com um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Bahram Ghasemi, a decisão e suas consequências ameaçam a segurança da região. “(Essa atitude) não vai ajudar a paz, a estabilidade, a segurança e o restabelecimento dos direitos do povo palestino. (…) as relações com o Brasil irão continuar eventualmente”, disse Ghasemi, segundo a agência AP.

De acordo com a publicação, no domingo, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que está em visita ao país, disse que no encontro dos dois na sexta-feira o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, lhe confirmou a mudança da embaixada.

“Bolsonaro me disse que não é uma questão de se, mas de quando”, afirmou Netanyahu num encontro com a comunidade judaica brasileira em um hotel de Copacabana, no Rio de Janeiro, completa o Jornal O Globo.

DCM