A prisão do militar da Aeronáutica na Espanha, com drogas em avião da FAB que é aeronave reserva da Presidência, é um duro golpe nos planos do governo de melhorar a imagem de Jair Bolsonaro; episódio fornece munição para os críticos acusarem o governo de coisas ainda piores que as críticas já proferidas na área de costumes

Brasil 247 A prisão do militar da Aeronáutica na Espanha, com drogas em aviãoda FAB que é aeronave  reserva da Presidência é um duro golpe nos planos do governo de melhorar a imagem de Jair Bolsonaro.

O Ministério da Defesa informou nesta terça que um militar da Aeronáutica foi detido no aeroporto de Sevilha, Espanha, por suspeita de envolvimento no transporte de substância entorpecente.

“Os fatos estão sendo apurados e foi determinada a instauração do Inquérito Policial Militar (IPM)”, diz o ministério. “O Ministério da Defesa e o Comando da Aeronáutica repudiam atos dessa natureza e darão prioridade para elucidação do caso, aplicação dos regulamentos cabíveis, bem como colaboram com as autoridades”, complementa a nota.

Segundo a revista Veja, embora o militar não tenha ligação com a comitiva de Bolsonaro que vai ao Japão nesta semana, o episódio fornece munição para os críticos acusarem o governo de coisas ainda piores que as críticas já proferidas na área de costumes.

Prisão de membro da comitiva de Bolsonaro com 39 quilos de cocaína repercute no mundo

Edição global do jornal El País destacou nesta quarta-feira (26) a prisão do membro da comitiva de Bolsonaro com 39 quilos de cocaína; “Não é a primeira vez que membros da aeronáutica brasileira usam seu status militar para traficar narcóticos”, informou a edição

247 – A edição global do jornal El País destacou nesta quarta-feira (26) a prisão do membro da comitiva de Bolsonaro com 39 quilos de cocaína.

A edição explicou que “a prisão ocorreu quando a aeronave parou no aeroporto da capital da Andaluzia com destino a Tóquio para servir reserva de bilhetes o presidente brasileiro viajando em outro dispositivo para participar do G-20 realizada na capital japonesa. O Ministério da Defesa do Brasil emitiu uma nota confirmando a prisão dos militares por tráfico de drogas. Bolsonaro também lançou um tweet confirmando o evento”.

“Fontes da Guarda Civil detalham que a detecção da droga e a subsequente detenção do militar ocorreram quando os tripulantes e suas bagagens passaram o controle alfandegário obrigatório na chegada ao aeroporto de Sevilha. Após a sua detenção, o soldado foi transferido para a sede do Comando da capital da Andaluzia, de onde passará na próxima quinta-feira uma acusação judicial acusada de um crime contra a saúde pública. O Ministério da Defesa do Brasil insiste em afirmar que “repudia” as ações militares e que colaborará com as autoridades espanholas na investigação. Bolsonaro anunciou em sua conta no Twitter que pediu a seu ministro da Defesa por “colaboração imediata” com a polícia espanhola”, informou o jornal

O jornal ainda destacou que “Não é a primeira vez que membros da aeronáutica brasileira usam seu status militar para traficar narcóticos”, destacou a edição.