Durante visita ao Conselho Regional de Farmácia do Paraná nesta semana, o deputado eleito Michele Caputo defendeu junto à diretoria do conselho propostas para fortalecer a assistência farmacêutica no Estado. O Farmácia Paraná, segundo Michele Caputo, é um dos programas na área que deve ser fortalecido através de projeto de lei que deve ser aprovado na Assembleia Legislativa a partir de 2019. “Já temos 15 unidades do Farmácia Paraná estruturadas, modelos exemplares de assistência farmacêutica. É um programa que tem que perpassa governos porque atende bem a população e merece virar lei”, disse Michele Caputo que é farmacêutico de formação.

‘Tenho um orgulho enorme de ser farmacêutico, mas quero representar todos os profissionais de saúde na Assembleia Legislativa. Podem contar comigo! Além disso, fiquei muito honrado com os votos de congratulações que recebi dos conselheiros. Isso só reforça a minha vontade de chegar logo fevereiro para iniciar uma a trabalhos em prol da saúde do Paraná no legislativo”, completou Michele Caputo.

Atualmente, as unidades do Programa Farmácia do Paraná são responsáveis pela orientação e encaminhamentos necessários para obtenção dos medicamentos disponibilizados gratuitamente pelo SUS para situações de maior complexidade ou custo.
Entre 232 medicamentos para 82 doenças estão os para artrite, hepatites virais, transplantes, doenças renais, Alzheimer, Parkison, asma grave, esclerose múltipla, entre outros.
O Estado já readequou 15 unidades da Farmácia Paraná, entre elas, estão as de Guarapuava, Pato Branco, União da Vitória, Apucarana, Toledo, Cascavel e Telêmaco Borba. “Este é um projeto estratégico de governo que qualifica o atendimento às pessoas que precisam dos medicamentos e oferece orientação especializada aos pacientes”, afirmou Michele Caputo Neto.
O deputado eleito adianta ainda que, atualmente, o programa destina recursos para que os municípios fortaleçam a assistência farmacêutica municipal e cita outro serviço prestado pela Farmácia Paraná em Curitiba, a entrega de medicamentos em casa para pacientes com 60 anos ou mais, que deve ser estendidas à outras unidades no Estado. A unidade de Curitiba também conta com consultórios farmacêuticos: três salas para atender os usuários e repassar orientações quanto à administração do medicamento, possíveis reações adversas e interações medicamentosas, que podem prejudicar o tratamento.