Durante a noite edifícios do centro de Buenos Aires mostravam  palavras sobre a visita de Bolsonaro: “Fora Bolsonaro” e “Não é bem vindo”.

Ato ‘Jornada Político Cultural – Argentina repudia Bolsonaro’ terá apresentações de artistas, participação de políticos e leitura de manifesto contra o governo do presidente brasileiro

Mais de 60 coletivos vão protestar nesta quinta-feira (06/06) contra a visita oficial do presidente Jair Bolsonaro à Argentina, o ato será na praça de Maio, às 18 horas (horário de Brasília), em Buenos Aires.

Pouco antes, às 15h, os manifestantes se juntarão à tradicional ronda realizada pelas Mães de Maio. As Mães são um movimento independente e sempre marcham em volta da praça. Nesta quinta, o grupo abriu uma exceção para que os manifestantes participem.

O ato “Jornada Político Cultural – Argentina repudia Bolsonaro” terá apresentações artísticas de grupos LGBTs e de afrodescendentes. Ainda na programação, haverá participação de personalidades políticas e leitura de um manifesto contra o presidente do Brasil. São esperadas cerca de 5.000 pessoas no protesto.

Além do ato, manifestantes estão enviando cartas ao hotel Alvear Palace solicitando que o estabelecimento cancele a hospedagem de Bolsonaro e as reuniões que irão acontecer no local.

Nesta quarta-feira (05/06), serão instalados em pontos da capital argentina projeções com imagens contra Bolsonaro, além de cartazes do artista brasileiro Cristiano Siqueira, que serão colados nas ruas próximas ao hotel e na Embaixada do Brasil na capital argentina.  Siqueira foi quem desenhou o cartaz da banda Dead Kennedys que criticava a postura do governo de Bolsonaro.

Bolsonaro irá chegar na manhã de quinta na Argentina, onde terá reunião na Casa Rosada com o presidente Maurício Macri.

Cristiano Siqueira/Divulgação
Cartaz distribuído pela capital argentina contra a visita de Bolsonaro na Argentina.

Opera Mundi