Brasil 247 O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, desmentiu neste domingo (16) o futuro chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, e disse que o presidente Nicolás Maduro foi convidado para a posse do presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, em 1º de janeiro.

“O governo socialista, revolucionário e livre da Venezuela não assistiria jamais à posse de um presidente que é a expressão da intolerância, do fascismo e da entrega de interesses contrários à integração latino-americana e caribenha”, diz o chanceler venezuelano.

O futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou neste domingo em sua conta no Twitter que Maduro não foi convidado para a posse de Jair Bolsonaro em 1º de janeiro, em Brasília. Segundo o futuro chanceler, “não há lugar para Maduro numa celebração da democracia e do triunfo da vontade popular brasileira”.

“Em respeito ao povo venezuelano, não convidamos Nicolás Maduro para a posse do PR Bolsonaro. Não há lugar para Maduro numa celebração da democracia e do triunfo da vontade popular brasileira. Todos os países do mundo devem deixar de apoiá-lo e unir-se para libertar a Venezuela”, escreveu Ernesto Araújo (leia mais).