Foto: Pedro França/Agência Senado

Revista Forum – Entre outros motivos Wagner quer saber quais autoridades brasileiras participaram da negociação, além das razões que motivaram o governo brasileiro a pedir revisão do contrato

O senador Jaques Wagner (PT-BA) apresentou nesta terça-feira (6) requerimento solicitando que o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, preste informações sobre os últimos fatos relacionados à Usina Hidrelétrica de Itaipu. O objetivo é fazer com que o chanceler esclareça a renegociação do acordo entre o Brasil e o Paraguai acerca da comercialização de energia gerada pela binacional.

“Independentemente das razões que levaram à revisão do acordo, é inegável que tal decisão vem produzindo consequências graves no Paraguai”, afirma Wagner.

Reportagem do jornal ABC, do Paraguay revelou que o advogado José Rodríguez González, que atua como assessor jurídico informal do vice-presidente, Hugo Velázquez, intermediou a exclusão de uma cláusula para beneficiar a a empresa brasileira Léros Comercializadora, que seria ligada à família Bolsonaro, no acordo secreto de renegociação da Usina Hidrelétrica de Itaipu, assinado no dia 24 de maio pelos presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benítez.

As recentes revelações do acordo secreto entre o governo Mario Abdo Benítez para beneficiar Bolsonaro e empresas ligadas ao seu clã resultou na renúncia do ministro das Relações Exteriores, Luis Castiglioni, e três outros altos funcionários, incluindo o diretor paraguaio de Itaipu.

Além da demissão de autoridades, a renegociação enseja, agora, um pedido de impeachment do atual presidente do país, Mario Abdo Benítez. “Obviamente, essa crise política tende a prejudicar as relações entre os dois países, com prejuízos aos interesses brasileiros”, explicou Wagner. “O quadro se agrava ainda mais pelo fato de o acordo ter sido feito sob inexplicável sigilo, o que lança dúvidas até sobre sua lisura. O país merece uma explicação do ministro sobre essa negociação”, completa.

Dentre os pontos que, para o senador, precisam ser respondidos por Ernesto Araújo estão os motivos para o acordo ser sigiloso, quais autoridades brasileiras participaram da negociação, razões que motivaram o governo brasileiro a pedir revisão do contrato, estimativas sobre o encarecimento da energia utilizada pelo Paraguai e eventual redução do custo da energia consumida no Brasil e quais empresas que possivelmente foram beneficias por tal revisão.

“Todos esses questionamentos precisam ser esclarecidos. Precisamos, ainda, ter acesso ao texto integral do acordo negociado”, conclui Wagner.

 

PT aciona PGR

O Partido dos Trabalhadores (PT) apresentou nesta terça um pedido de investigação à Procuradoria-Geral da República (PGR) do caso de Itaipu, que levou a uma grave crise política no Paraguai. O partido abriu representação contra o presidente Jair Bolsonaro, o chanceler Ernesto Araújo e o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general Joaquim Silva e Luna.