Capturado segundo terrorista sírio nos combates em Artsakh

Em 1º de novembro, durante as ações militares, as unidades militares do Exército de Defesa de Artsakh capturaram o segundo combatente terrorista envolvido pelo lado do Azerbaijão nas hostilidades militares contra Artsakh. O homem capturado se apresentou como Yusuf Alaabet al-Hajji, residente da vila de Ziyadiya na região de Jisr al-Shughur da província de Idlib, na Síria. Outro terrorista fora capturado pelo Exército de Defesa Artsakh no dia 30 de outubro, apresentando-se como Mehrab Muhammad Al-Shkheir, da cidade síria de Hama.
A Armênia já havia denunciado o recrutamento de combatentes terroristas e jihadistas estrangeiros pela Turquia de vários “pontos críticos” no Oriente Médio, especialmente da Líbia e das áreas sob seu controle na Síria, e sua subsequente transferência e implantação na região de Nagorno-Karabakh com o objetivo de cometer atrocidades contra o povo de Artsakh.
O fato não é apenas confirmado pelos serviços de inteligência dos países co-presidentes do Grupo de Minsk da OSCE e a comunidade internacional, mas também pelos testemunhos diretos dos terroristas.
Em seus depoimentos, os terroristas capturados forneceram informações detalhadas sobre seu processo de recrutamento, o pagamento mensal previsto para lutar contra “kafirs” (infiéis), o pagamento extra para cada “infiel” decapitado, bem como sobre seus planos terroristas previstos. A transferência de jihadistas para a zona de conflito de Nagorno-Karabakh revela as intenções da liderança turco-azerbaijana de dar ao conflito um caráter inter-religioso.
Esta é uma manifestação completamente nova de expansão do terrorismo, quando combatentes terroristas estrangeiros e jihadistas do Oriente Médio foram destacados para a zona de conflito na área da OSCE; é uma séria ameaça à segurança e estabilidade internacional e regional.

 

A cidade italiana de Palermo reconhece a independência de Artsakh; assembleia da Córsega adota resolução sobre o reconhecimento de Artsakh

A Câmara Municipal da cidade italiana de Palermo reconheceu a independência da República de Artsakh. A Câmara Municipal também condenou a agressão do Azerbaijão contra a população pacífica de Artsakh e numerosos casos de bombardeio a instalações civis.

No fim de semana, a comunidade armênia em Palermo, em colaboração com a União Armênia da Itália e os jovens do Partido Lega, organizou manifestação pacífica na Piazza Castelnuovo para chamar a atenção para a agressão do Azerbaijão contra Artsakh e pedir o seu reconhecimento.

“Queremos nos concentrar na situação no Cáucaso e pedir o apoio dos italianos para chegar a uma solução diplomática”, disse Igor Gelarda, líder da Lega na Câmara Municipal de Palermo e primeiro signatário da resolução que pede um cessar-fogo imediato e o reconhecimento da República de Nagorno Karabakh pelo governo italiano.

Córsega. A Assembleia da Córsega, ilha no Mediterrâneo ligada à França, adotou resolução sobre o reconhecimento da República de Artsakh, relata a Embaixada da Armênia na França. Durante sessão especial, também foi denunciada a agressão azerbaijani-turca contra Artsakh. Os parlamentares expressaram apoio à luta do povo armênio pela liberdade e pela paz. A resolução também apela aos Estados membros da ONU e à União Europeia para reconhecer a independência de Artsakh.

 

França determina que polícia proteja escolas e igrejas armênias, após aumento das ameaças turcos e azeris no país

Após grupos extremistas da Turquia e do Azerbaijão promoverem ações de intimidação à população armênia dentro de território francês, o governo da região de Auvergne-Ródano-Alpes determinou que policiais e soldados da Operação Sentinela promovam proteção de escolas e igrejas armênias.

“Imagem triste, mas este é um forte símbolo de proteção que nossa nação oferece a todos os seus cidadãos. A ameaça que os franco-armênios enfrentam é uma ameaça para toda a França”, disse Jonathan Lacôte, embaixador da França na Armênia.

 

Exército do Azerbaijão dispara 8 mísseis de longo alcance sobre prédios de apartamentos e áreas civis em Stepanakert

Neste fim de semana as forças militares azeris bombardeavam regularmente a cidade de Stepanakert, de acordo com o Infocentro Unificado Armênio, Ministério da Defesa da Armênia. Oito mísseis de longo alcance foram disparados contra prédios de apartamentos, áreas residenciais, instalações públicas e outras infraestruturas civis na cidade. Dados preliminares informam que não há vítimas fatais.

 

44 soldados armênios foram mortos em batalhas na defesa de Artsakh
Hoje, 44 soldados armênios foram mortos defendendo a Armênia e Artsakh, um total de mais de 1.200, de acordo com o Infocenter Unificado Armênio, Ministério da Defesa da Armênia.
Batalhas continuam. Durante a noite de 8 de novembro, o Exército de Defesa de Artsakh travou batalhas defensivas nas direções sudeste, sul e sudoeste da linha de frente do território conhecido como Nagorno-Karabakh.
Batalhas intensas foram registradas na área de Shushi-Karin Tak, onde os militares do Azerbaijão sofreram grandes perdas e recuaram. Houve destruição de veículos de guerra azeris – 1 tanque, 4 veículos comuns e 8 drones.
Na manhã de hoje, o Azerbaijão retomou operações ofensivas em todas as principais seções da linha de frente. O combate nas proximidades de Shushi continua.