O jornalista especialista em geopolítica Pepe Escobar explicou à TV 247 o que há por trás da guerra comercial entre China e Estados Unidos. A disputa, segundo Pepe, é de “espectro total”. O jornalista também afirmou que os “EUA não querem uma guerra comercial, mas estão sendo arrastados à isso pela administração Trump” e falou da situação do Brasil diante desse cenário. Assista

247 – O jornalista Pepe Escobar, especialista em geopolítica, conversou com a TV 247 sobre a guerra comercial entre China e Estados Unidos e explicou o conflito em curso. Pepe chama de guerra de “espectro total”, que é a disputa econômica em todas as frentes pelos norte-americanos: terra, ar, mar, espaço e ciberespaço.

“De acordo com as melhores informações que a gente tem da cúpula chinesa, a guerra norte-americana contra eles é total. Na cabeça do Pentágono, a dominação do espectro total inclui tudo: terra, ar, mar, espaço e ciberespaço. Os russos sabem disso e estão combatendo os Estados Unidos em todos os espectros e, em alguns deles, eles são predominantes. A China, por exemplo, é muito forte no ciberespaço e está ficando cada vez mais forte no espacial, mas em comparação, por exemplo, da marinha chinesa com a americana, a chinesa perde com larga margem. Eles estão tentando cada vez mais diminuir essa distância”.

Ele ainda explicou o funcionamento da guerra financeira e mencionou o ex-presidente Lula como exemplo de quem conhece o segredo deste tipo de disputa. “O ‘x’ da guerra financeira é a dominação do dólar, isso é uma coisa que o presidente Lula sabia muito bem quando ele começou aquelas discussões dentro dos BRICs para começar as transações comerciais entre os membros do bloco, passando ao largo do dólar nas moedas locais. Isso foi implementado pelos BRICs, o Banco do bloco criado, os chineses criaram o Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura, tudo isso leva para o mesmo lado: ‘vamos tentar driblar o dólar em nossas negociações comerciais onde for possível’”.

Pepe afirmou também que os Estados Unidos não desejam enfrentar uma guerra comercial, porém, estão sendo levados pelo presidente norte-americano, Donald Trump, a este cenário porque Trump não entende a globalização.

“Isso está ligado diretamente à guerra comercial lançada pelos Estados Unidos. Trump não consegue entender como funcionam as cadeias de produções globais, nas quais empresas americanas, chinesas e europeias estão totalmente ligadas. A circulação da globalização é totalmente interligada, se um perde, o outro lado também perde. Isso na cabeça do Trump, que é um empreendedor imobiliário em Manhattan, é impossível de passar. Estados Unidos não querem uma guerra comercial, mas estão sendo arrastados à isso pela administração Trump”.

Brasil

Sobre o posicionamento do Brasil frente a este cenário comercial internacional conflituoso, o jornalista explicou que, tendo um governo realmente soberano, o Brasil poderia se posicionar sem prejudicar suas alianças.

“O problema é que, considerando o perfil e o QI desse tosco e chucro que passa como presidente e da equipe dele, cujo conhecimento de economia internacional é praticamente nulo… se você tivesse três ou quatro bons economistas e dois cientistas políticos você catalogava todo quadro geopolítico e geoeconômico que está acontecendo agora e entendia que está perfeito para o Brasil se posicionar sem quebrar alianças”, destaca Pepe.

E completa afirmando que se tivéssemos um governo soberano que se impusesse frente a Washington diria: ‘escuta, eu não vou quebrar meu futuro econômico com meu maior parceiro comercial porque você tem uma ideia na cabeça de que quer impor sanções a eles. Não temos nada a ver com isso’”.