Após passar por reformas, o Bosque Reinhard Maack voltou a ser aberto à população neste sábado. A cerimônia de reabertura contou com a presença do prefeito Rafael Greca, que reforçou a importância do espaço para educação ambiental de estudantes e aproveitou a ocasião para estimular uma atividade criativa e de lazer própria de ambientes abertos: fabricar e empinar raias (ou pipas, como muita gente chama).

Todos os 16 brinquedos da trilha da aventura (que é um diferencial deste espaço na Vila Hauer) foram restaurados, incluindo três que estavam sem condições de uso havia cerca de quatro anos – pesca, alvo e o antigo peso, que agora chama-se equilíbrio. Banheiros, o anfiteatro e as trilhas também foram restaurados. Já o entorno e a ciclovia do bosque receberam nova camada de pavimento e meios-fios novos.

“Que o bosque, agora recuperado, seja visto como forma de guardar a memória da nossa terra”, disse o prefeito, que plantou uma araucária na área. “Aqui se faz um trabalho belíssimo de educação ambiental para nossas crianças.”

A remodelação faz parte de uma série de benfeitorias que estão sendo realizadas em diversos equipamentos da cidade, melhorando serviços e paisagismo. Além do Reinhard Maack, sete outros espaços passaram por obras: parques Barigui, Caiuá, Tanguá e Lago Azul; bosques João Paulo II e Alemão; e Passeio Público.

 

Educação ambiental
Durante a semana, o Bosque Reinhard Maack fica fechado para o público geral, mas recebe crianças de escolas do município para atividades especiais – como visitas guiadas, brincadeiras e contato com a natureza. “Ele é o único na cidade com este foco, mais voltado para a preservação e educação ambiental”, destaca Jean Brasil, diretor de parques e praças da secretaria municipal do Meio Ambiente.

 

“Pipódromo”
Durante a cerimônia de sábado, o prefeito recebeu uma raia (ou pipa) de presente de Mauro Gonçalves, que tem um ateliê de confecção deste tipo de brinquedo, bastante popular entre crianças de gerações anteriores. O prefeito acionou a secretária municipal da Educação, Maria Silvia Bacila Winkeler, que participava do ato. Ela deverá incluir oficinas de pipas entre as atividades da secretaria para estudantes. “Um pipódromo também cairia muito bem no Parque Iguaçu”, comentou o prefeito. “Mas nada de cerol”, reforçou, sobre a perigosa e proibida cola com vidro cortante que alguns usam para cortar o fio de outras pipas durante disputas.

 

O parque
O bosque foi inaugurado em 1989 e tem área de 78 mil metros quadrados, coberta de “capões” com vegetação original de Curitiba, como araucárias, aroeiras, bracatingas e outras espécies vegetais. Ele também conta com um pavilhão de educação ambiental e grupo de escoteiros.

Pertencente à família Hauer por mais de cem anos, a área foi doada por Alfredo Hauer. Reinhard Maack, que dá nome ao bosque, foi um alemão que veio para o Brasil em 1923 para trabalhar na Companhia de Mineração e Colonização do Paraná. Era cartógrafo, geógrafo, paleontólogo, engenheiro de minas, geólogo e professor da UFPR. Foi primeiro a medir o Pico do Paraná.

 

Presenças
Estiveram presentes à reabertura do bosque a secretaria municipal da Educação Maria Silvia Bacila Winkeler, a presidente do ICS, Dora Pizzatto, e o chefe do escritório de representação do Paraná em Brasília, Luciano Pizzatto, os vereadores Beto Moraes e Geovani Fernandes, o administrador da Regional Boqueirão, Ricardo Dias, o superintendente da secretaria municipal do Meio Ambiente, Reinaldo Piloto, além de Cíntia Hauer Leitão (neta de Alfredo Hauer) e representantes do Grupo de Escoteiros Pindorama.

 

Serviço

O bosque abre aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 16h30. O acesso é gratuito. O agendamento para visitas de estudantes nos dias de semana pode ser feito pelo telefone (41) 3350-9891.

Endereço: Rua Raggi Izzar com a Rua Waldemar Kost, Hauer.

 

Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba