Prefeito Rafael Greca e o secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana, Inácio Bento de Morais Junior, assinam a autorização para o início das obras do lote 4.1 da Linha Verde. Presentes, o diretor de Planejamento da Semob, Cléver Ubiratan Teixeira de Almeida; o superintendente da Caixa Econômica Federal no Paraná, Renato Scalabrin; o vice-prefeito e secretário de Obras, Eduardo Pimentel; o secretário municipal do Governo e presidente do Ippuc, Luiz Fernando Jamur, o deputado estadual Pedro Lupion e o presidente da Câmara, vereador Serginho do Posto. Foto: Pedro Ribas/SMCS

O prefeito Rafael Greca e o secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana, Inácio Bento de Morais Junior, assinaram na Prefeitura, a autorização para o início das obras do lote 4.1 da Linha Verde. A autorização ocorreu em tempo recorde, já que a licitação foi homologada há uma semana e o contrato assinado na quinta-feira passada (1º/11), com a empresa Terpasul Construtora de Obras, vencedora da concorrência.

“Com celeridade e o apoio do Ministério das Cidades conseguimos assinar esta ordem de serviço em tempo recorde. Quero inaugurar a Linha Verde em 2020 com o apoio de vocês”, afirmou Greca. O prefeito destacou que logo após eleito foi a Brasília para garantir os recursos federais que estavam para ser perdidos.

“Com esforço, conseguimos resgatar recursos para mobilidade e drenagem que não foram aproveitados pelo meu antecessor”, disse o prefeito.

Segundo Greca, com a finalização, a Linha Verde irá se tornar um grande eixo metropolitano de mobilidade integrando do sul ao norte as cidades de Mandirituba, Fazenda Rio Grande, Curitiba, Colombo e Campina Grande do Sul.

Avanço

A assinatura da ordem de serviço foi destacada como um avanço para a cidade, pelo presidente da Câmara Municipal, Serginho do Posto. “São investimentos em mobilidade urbana para atender a uma demanda muito forte da cidade. Com isso, o prefeito tem avançado nas metas do plano de governo num curto espaço de tempo da gestão”, disse.

São 2,8 quilômetros de extensão do trecho final entre as estações Solar e Atuba, no norte da cidade. Serão investidos R$ 69.424.662,46, com recursos do Orçamento Geral da União (OGU), como parte do PAC-2. Os trabalhos devem começar logo que o canteiro de obras fique pronto, o que deve acontecer até o final do ano. A previsão de conclusão das obras é de dois anos.

Terminais

Na oportunidade, também foram assinadas as Sínteses de Projetos Aprovados (SPAs) dos terminais Hauer e Campina do Siqueira, que serão reconstruídos. Integrante do Ministério das Cidades (MCidades), a Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana (Semob) é o órgão responsável por formular e implementar a política de mobilidade urbana sustentável no país.

Inácio Bento de Morais Junior destacou que Curitiba representa o paradigma da mobilidade urbana no País. “A cidade vem nos ensinando o que tem que ser feito para a melhoria do transporte coletivo, que é uma necessidade das grandes cidades”, disse o secretário nacional do Transporte e da Mobilidade.

Segundo ele, a agilidade no processo de aprovação se deu pela qualidade dos projetos da capital paranaense. “Em vários estados há obras que se arrastam por conta de projetos incipientes. O Ministério das Cidades costuma premiar aqueles que executam bem as obras. Por isso, em Curitiba temos mais de 80% de recursos liberados pelo Ministério”, disse Morais Junior.

Ele destacou ainda o empenho do diretor da Semob, Cléver Ubiratan Teixeira de Almeida, funcionário de carreira do Ippuc e ex-presidente do instituto em favor de Curitiba. “Ele é um embaixador da cidade em Brasilia”.

O prefeito Greca também ressaltou a importância do Ministério das Cidades no suporte ao desenvolvimento urbano. “Estimo que o Ministério das Cidades tenha uma feliz sucessão no governo que se inicia. Não posso abdicar da minha função de prefeito ao defender a importância de uma política nacional de urbanização. As cidades brasileiras são o Brasil”, finalizou Greca.

Também participaram do evento, o diretor de Planejamento da Semob, Cléver Ubiratan Teixeira de Almeida; o superintendente da Caixa Econômica Federal no Paraná, Renato Scalabrin; o gerente de Filial da Caixa, Célio Américo e o gerente executivo da Caixa, Eduardo Pereira de Souza.

Por parte do município estiveram presentes o vice-prefeito e secretário de Obras, Eduardo Pimentel; o secretário municipal do Governo e presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Luiz Fernando Jamur; e os secretários municipais de Planejamento, Orçamento e Finanças, Vitor Puppi; do Meio Ambiente, Marilza Dias; da Comunicação, Israel Reinstein, da Saúde, Marcia Huçulak; e os presidentes da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto e da Cohab, José Lupion Neto. E os administradores das regionais da Matriz, Dirceu de Matos; CIC, Rafael Keiji Assahida; Boqueirão, Ricardo Dias; Pinheirinho, Reinaldo Boaron, Boa Vista, Janaína Lopes Gehr e Cajuru, Adriane Cristina dos Santos.

Representando o poder legislativo federal e municipal prestigiaram a assinatura da ordem de serviço deputado federal, Pedro Lupion, o presidente da Câmara Municipal, Serginho do Posto, e os vereadores Beto Moraes, Thiago Ferro, Edemar Colpani, Geovane Fernandes, Rogério Campos e Oscalino do Povo.

Finalização da Linha Verde

A Linha Verde é o sexto eixo de transporte da cidade e de integração de Curitiba à Região Metropolitana. São 22 quilômetros de extensão (pelo leito da BR-476) ligando a cidade do Sul ao Norte desde o Pinheirinho ao Atuba, beneficiando 22 bairros numa área de abrangência de 287 mil pessoas.

O trecho sul já está concluído e seis estações estão em operação com o ônibus Ligeirão (Pinheirinho, Vila São Pedro, Xaxim, Santa Bernadethe, Fanny e Marechal Floriano) na ligação ao Centro da cidade (Lourenço Pinto).

O trecho norte é a parte final de obras da Linha Verde. Estão em fase de conclusão as obras do lote 3.1, no trecho de 2,2 quilômetros desde o viaduto da Avenida Victor Ferreira do Amaral até o Rio Bacacheri, próximo ao Hospital Vita. Os investimentos são de R$ 56,1 milhões.

Também integra esta etapa o lote 3.2, de construção da trincheira da Rua Fúlvio Alice, próxima à Igreja Batista do Bacacheri. A obra está em execução, com investimentos de R$ 28,7 milhões. A previsão é que estes dois lotes de obras estejam concluídos em abril de 2019.

Ainda como parte da Linha Verde Norte, o projeto do lote 2.1 (Viaduto triplo da Victor Ferreira do Amaral) está na Caixa Econômica Federal para aprovação.