Chanceler paraguaio disse que policiais federais brasileiros ultrapassaram limite fronteiriço no Rio Paraná durante perseguição a uma lancha que, supostamente, levava drogas.

 
O governo do Paraguai convocou nesta quarta-feira (11) o embaixador do Brasil no país, Carlos Simas Magalhães, para dar explicações após um incidente ocorrido dois dias antes em um clube perto de Ciudad del Este, na fronteira com Foz do Iguaçu (PR).

Em entrevista à rádio paraguaia ABC Cardinal, o ministro de Relações Exteriores do Paraguai, Antonio Rivas Palacios, afirmou que agentes da Polícia Federal brasileira ultrapassaram o limite entre os dois países no Rio Paraná durante perseguição a uma lancha que supostamente carregava entorpecentes.

Ainda segundo Palacios, durante a caçada, os policiais brasileiros se depararam com bombeiros paraguaios, que levantaram as mãos e advertiram sobre a entrada irregular no território do país.

Já a Polícia Federal brasileira afirmou em nota que “houve uma troca de tiros próximo ao local onde os bombeiros estavam trabalhando. Havia uma embarcação lá perto, que é ponto de passagem de drogas inclusive, e os policiais ao realizarem a abordagem, foram recebidos a tiros e então revidaram”.

Em nota, o Ministério de Relações Exteriores do Paraguai afirmou que os dois diplomatas se reuniram na manhã de quarta-feira. No encontro, o chanceler paraguaio disse ao embaixador brasileiro que “é necessário continuar com trabalhos conjuntos e mecanismos estabelecidos no âmbito dos órgãos de segurança de ambos os países” para evitar “a repetição de incidentes do tipo”.

O G1 entrou em contato com o Itamaraty, que, até a última atualização desta reportagem, não havia comentado o caso.