General da Guarda Revolucionária do Irã disse que ataques a bases americanas no Iraque são início de megaoperação e não tiveram como meta matar soldados, mas danificar instalações militares dos EUA.

Guarda Revolucionária do Irã alerta para ‘vingança mais severa’ em breve

Sputnik Brasil – Após ataques com mísseis contra alvos dos EUA, o chefe da segurança do Estado-Maior das Forças Armadas do Irã, Abdollah Araghi, advertiu que qualquer novo movimento hostil levará a uma resposta mais forte por parte da República Islâmica, informou mídia.

“De fato, o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã [IRGC] é um dos braços mais fortes da liderança [do Irã] e se vingará da forma mais severa em breve”, disse Araghi à agência de notícias Tasnim.

“O inimigo está bem ciente de que a repetição de qualquer crime e ato maligno contra o Irã transformará a bofetada no rosto em golpes de aço esmagadores”, advertiu a declaração.

Na quarta-feira (8), a Guarda Revolucionária anunciou uma operação de retaliação pelo assassinato do general Qassem Soleimani como resultado das operações militares dos EUA no Iraque.

Sequência de ataques

Foram disparados mísseis contra a base aérea Ain Al-Asad, no Iraque, e contra instalações militares em Erbil, que alberga o contingente do Exército dos EUA na coligação internacional contra o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e outros países).

De acordo com Washington, nenhum cidadão americano ficou ferido como resultado do ataque, apenas houve danos materiais.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que Washington limitaria sua resposta à imposição de novas sanções e à continuação de sua política de máxima pressão contra o Irã.

Posteriormente, a mídia noticiou que o representante dos EUA nas Nações Unidas enviou uma carta ao Conselho de Segurança da ONU, na qual informava sobre a prontidão de negociar com Teerã sem condições prévias para reduzir a tensão na região.