Fernando Brito – Tijolaço

O preço da gasolina dispara em São Paulo, como em todo o Brasil.

Só que agora, curiosamente, o preço não é culpa da Dilma, do PT nem da corrupção: é da cotação do dólar e do preço internacional do petróleo.

Se é isso, aguardem ficar pior.

Porque o dólar, depois de ameaçar uma leve queda, voltou a subir 1,5% ontem, com a pesquisa Datafolha.

E o óleo, por sua vez, engatou uma alta de 2,5% nas últimas 24 horas

E a turma da panela, nem “ai”…

Enquanto isso, a Petrobras anuncia que, pela escala de produção, o petróleo do mosso pré-sal, este que estão entregando, vai chegando perto de US$ 5 dólares o barril, sem contar royalties e custos de investimentos que, com o tempo e o barateamento da prospecção – tanto pelo alto índice de sucesso como pelo conhecimento do subsolo marítimo – vão sendo quase “zerados”, ante o volume produzido.

Não é outra a razão pela qual querem vender tudo, e rápido.

Enquanto podem.