Prefeito Rafael Greca, entrega os prêmios do 2º sorteio do programa Nota Curitibana, junto com o secretpario municipal de Finanças, Vitor Puppi, o coordenador do programa, Mario Nakatani Junior e a diretora do departamento de Rendas Mobiliárias, Miriam Feuerharmel. Na foto, com Germano Dell’Agnelo e esposa Andrea Regina Conradi Basílio.  Foto: Pedro Ribas/SMCS

Em cerimônia realizada nesta sexta-feira na sede da Prefeitura, o prefeito Rafael Greca distribuiu R$ 80 mil reais aos três principais contemplados do segundo sorteio do programa Nota Curitibana, realizado em abril.

“Um bom cidadão pede nota, um bom comerciante dá nota”, disse o prefeito. “Todos ganham. A premiação de vocês é uma forma de incentivar a todos pedirem nota fiscal, ação que se transforma em mais recursos para todos os serviços públicos do município.”

Felizes com a sorte, os premiados também destacaram os benefícios que o programa implantado pela Prefeitura no início do ano traz para cidadãos, administração municipal e entidades sociais.

O auditor fiscal aposentado Germano Dell’Agnelo ficou com o prêmio principal, de R$ 50 mil; o analista de sistemas Josnei Ferreira dos Santos recebeu R$ 20 mil e o professor universitário Ricardo Canute Kamicawachi levou os R$ 10 mil do terceiro prêmio.

Os três compareceram ao encontro com o prefeito acompanhados de suas esposas.

O programa ainda distribuiu 15 mil prêmios de R$ 10,00 aos participantes, que podem verificar se foram sorteados diretamente no site no Nota. No total, os cadastrados concorrem mensalmente a R$ 230 mil.

Indicadas pelos contemplados, as instituições Liga Paranaense de Combate ao Câncer (Hospital Erasto Gaertner), Associação Batista de Ação Social de Curitiba (Abasc) e a Associação Hospitalar de Proteção à Infância Dr. Raul Carneiro (Hospital Pequeno Príncipe) também foram agraciadas, com R$ 40 mil.

Responsável pela implantação do Nota Curitibana, o secretário municipal de Planejamento, Finanças e Orçamento, Vitor Puppi, lembrou que o cidadão que pede nota ganha duas vezes, com o retorno em forma de melhores serviços públicos e com a premiação, além de ajudar nas causas sociais da cidade.

Faculdade da filha
Dell´Agnello, que garante pedir nota nas suas compras de serviços e bens, decidiu facilmente o que vai fazer com o dinheiro: pagar seis meses da faculdade de Medicina da filha. “Foi uma ótima surpresa, dinheiro nunca é demais”, afirmou. “Vai aliviar bastante as contas caseiras”.

Sempre com nota
Sorteado no segundo prêmio, Josnei Santos conta que também mantém o hábito de sempre pedir nota com o CPF – e os serviços que consome com regularidade, como educação, oficina mecânica e odontologia se transformam em créditos para os sorteios. “O programa é bom para os dois lados”, avalia. “Ganha o cidadão e ganha o município, com melhoria da arrecadação.”

Ele pretende usar o dinheiro extra para quitar dívidas. “Graças a Deus, veio em boa hora”, afirmou o analista de sistema de 52 anos, casado e pai de dois filhos. Santos indicou a Associação Batista de Ação Social, que receberá outros R$ 10 mil. O analista já conhecia o trabalho da associação, que é ligada à igreja que frequenta.

Vai doar
Já o professor universitário de Física Ricardo Canute Kamicawachi destaca um “terceiro lado” beneficiado pelo programa – as entidades de assistência social. “É excelente. O retorno vem em dobro, para o cidadão e para as instituições.”, diz ele.

Kamicawachi indicou o Pequeno Príncipe como instituição beneficiada por considerá-lo um “hospital que é referência no tratamento de câncer infantil no país”. Além disso, ele diz que vai doar os R$ 10 mil do seu prêmio pessoal ao abrigo de animais abandonados onde a mulher, Bethania Rufatto, trabalha como voluntária.

“Temos 600 gatos e 90 cachorros lá”, conta ela. “Estava pedindo a Deus uma forma de ajudar mais o abrigo. Estou muito feliz com o prêmio.”