Os EUA praticam “banditismo internacional” ao controlar os campos petrolíferos no leste da Síria em vez de lutar contra terrorismo, afirmou no sábado (26) o representante do Ministério da Defesa da Rússia.

O general Igor Konashenkov, representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, afirmou que os Estados Unidos praticam “banditismo estatal internacional” ao manter o controle de campos petrolíferos na Síria.

“O que Washington está fazendo atualmente – a captura e manutenção sob seu controle militar dos campos petrolíferos no leste da Síria é, dizendo de forma simples, banditismo estatal internacional”, disse Konashenkov.

Segundo ele, a causa dessa atividade “está longe dos ideais de liberdade e dos slogans sobre a luta contra o terrorismo proclamados por Washington”.

“Nem no direito internacional, nem na própria legislação norte-americana – não há e não pode haver nenhum objetivo legal para as tropas estadunidenses guardarem e defenderem depósitos de hidrocarbonetos sírios da própria Síria e do seu povo”, sublinhou o representante do Ministério da Defesa da Rússia.

O general russo também afirmou que todos os depósitos de hidrocarbonetos localizados na Síria “não pertencem aos terroristas do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países] e também não aos ‘defensores norte-americanos contra os terroristas da Daesh’, mas exclusivamente à República Árabe Síria”.

O chefe do Pentágono, Mark Esper, afirmou na sexta-feira (25) que os EUA estão planejando para breve a tomada de medidas para reforçar as posições em torno da cidade síria de Deir ez-Zor para impedir ao acesso dos terroristas aos campos de petróleo. Segundo ele, os EUA estão estudando a forma de posicionar as forças na região “para manter a segurança dos campos petrolíferos”.