A noite de ontem foi marcada por uma gigantesca manifestação de estudantes da Universidade Federal do Paraná contra o desmonte da Educação, através do corte de verbas das universidades, faculdades e institutos de Educação em todo o país.

O estudantes marcharam por ruas e avenidas da cidade gritando palavras de ordem em defesa da Educação.

A manifestação foi reforçada por professores, funcionários e terceirizados da UFF contra os cortes e os desmandos do governo Bolsonaro.

Amanhã tem mais

Nesta sexta-feira o presidente Jair Bolsonaro virá a Curitiba para participar da Cerimônia de Ativação do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Regional Sul na antiga fábrica da Brahma no bairro Rebouças. A remodelação do espaço foi feita para abrigar espaços culturais que dinamizariam o comércio da região, mas agora virou cidade de policiais.

Bolsonaro será recepcionado por autoridades e também por manifestantes: estudantes e caminhoneiros preparam uma recepção para a vinda do pior presidente da história do Brasil.

 

Assista manifestação de ontem:

https://www.facebook.com/uffpelademocracia/videos/403342613594421/

BOLSONARO ACABA COM BOLSAS DE MESTRADO E DOUTORADO

O governo de Jair Bolsonaro suspendeu de maneira generalizada bolsas de mestrado e doutorado oferecidas pela Capes; as bolsas pertenciam a alunos que apresentaram seus trabalhos recentemente e seriam destinadas a estudantes aprovados em processos seletivos concluídos ou em andamento; ataque atinge não apenas a área de Ciências Humanas, mas também Exatas.

MILHARES DE ESTUDANTES SAEM ÀS RUAS CONTRA DESMONTE DA EDUCAÇÃO E MÍDIA IGNORA

Luta contra os retrocessos por parte do governo Jair Bolsonaro ganhou um novo componente com a saída de milhares de estudantes às ruas para protestar contra o corte de 30% nos recursos da educação; apesar do silêncio da mídia tradicional a respeito das manifestações, há manifestações quase diariamente  em várias cidades do país, como em São Paulo, Rio de Janeiro, Niterói, Curitiba e Salvador, entre outras; dia 15 está marcada mobilização nacional

Brasil 247 – A luta contra os retrocessos por parte do governo Jair Bolsonaro ganhou um novo componente com a saída de milhares de estudantes às ruas para protestar contra o corte de 30% nos recursos da educação anunciado na semana passada pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. A despeito do silêncio da mídia sobre o assunto, já foram registrados protestos em várias cidades do país, como São Paulo, Rio de Janeiro, Niterói, Curitiba, Salvador, entre outras.

As mobilizações deverão ser reforçadas no dia 15 de Maio – Dia Nacional de Luta em Defesa da Educação -, quando o Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) pretende convocar estudantes e profissionais da área para um dia de mobilização e paralisação em protesto contra o desmonte do setor. Segundo o Sinafese, o 15 de maio será, ainda, “um esquenta” para a greve geral que está sendo sendo preparada para acontecer no dia 14 de junho pelas centrais sindicais.

A nova onda de protestos teve início no último dia 6, quando centenas de alunos, professores e pais de estudantes de escolas federais realizaram uma manifestação em frente ao Colégio Militar do Rio de Janeiro, no qual o presidente Jair Bolsonaro participava de uma solenidade em homenagem aos 130 anos da instituição. (Leia no Brasil 247)

No mesmo dia, em Salvador, centenas de pessoas protestaram contra o bloqueio de R$ 3,7 milhões em verbas da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Nesta quarta-feira (8), cerca de 2 mil pessoas – entre docentes, técnicos e alunos – fizeram uma manifestação no campus Gragoatá da Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói. Com 43 mil alunos, a UFF é a maior universidade brasileira em número de estudantes matriculados.

Também nesta quarta-feira, estudantes da Universidade de São Paulo (USP) ganharam a Avenida Paulista e participaram de uma “Marcha pela Ciência contra os cortes das verbas na Educação”, pouco após o governo Jair Bolsonaro anunciar um corte das bolsas concedidas a estudantes de mestrado e doutorado. Em Curitiba, outras centenas de manifestantes participaram de um ato na área central da capital paranaense em uma mobilização organizada pelo coletivo Lutar e Educar, ligado ao curso de Pedagogia da Universidade Federal do Paraná (UFPR).